Foi uma noite bem diferente do normal no Couto Pereira. Reclamações, protestos, cartazes, faixas, silêncio e pouquíssimo público. Em meio a uma pressão forte sobre a diretoria, o Coritiba venceu o Goiás por 1×0 nesta sexta-feira (9) e encerrou uma série de cinco partidas sem vitória na Série B do Campeonato Brasileiro. Sem chances de acesso, o Coxa segurou o Esmeraldinho e deu uma ajudada e tanto para o Londrina, que pode colar de vez no G4 neste sábado (10), diante do Oeste, em Barueri.

+ Lance a lance: Confira como foi o jogo no nosso Tempo Real!

O dia tinha sido de protestos e intensa especulação. Pela manhã, cartazes pedindo a saída do presidente Samir Namur e do G5 foram colocados em todo o entorno do Couto Pereira. Os funcionários do Coxa gastaram tempo para fazer a limpeza. Durante a tarde, uma reunião do cartola com o Conselho Consultivo fez com que uma possibilidade de renúncia fosse ventilada e rapidamente desmentida.

Enquanto o jogo rolava, a torcida cobrava. Foto: Albari Rosa
Enquanto o jogo rolava, a torcida cobrava. Foto: Albari Rosa

Esse tinha sido o “pedido” do ex-presidente João Jacob Mehl em uma carta enviada aos conselheiros. “Provavelmente você não saiba o que é amor próprio, moral, dignidade, respeito e vergonha na cara”, escreveu Mehl. Os conselhos Deliberativo e Normativo também se movimentavam para discutir a péssima situação alviverde. A contestação era geral.

+ Antes do jogo: Protestos agitaram o Couto Pereira

Era nesse clima que pouco mais de mil pessoas foram ao Couto Pereira. Muitos destes nem entraram, em um protesto marcado pelas redes sociais que pedia “público zero” no jogo. Além de ficarem do lado de fora, eles emendavam gritos e xingamentos contra o presidente. E quanto o jogo começou, o estádio estava praticamente vazio. E a torcida vaiava quando os coxas-brancas tinham a posse de bola.

O Coritiba até tentava dominar o jogo. Talvez para dar uma resposta aos torcedores, os jogadores corriam muito, mas deixavam claro o nervosismo. O Goiás, que chegou na cara de Rafael Martins duas vezes no comecinho da partida, ficava na defesa esperando o erro dos donos da casa. Enquanto isso, faixas eram expostas: “Diretoria amadora” e “Vergonha”. Foi quando o time de Ney Franco passou a dominar a partida.

+ Leia mais: Wilson pode ir embora na próxima temporada

Mas chance real mesmo só aos 31 do primeiro tempo. Matheus Bueno, garoto da base, lançou Alecsandro, que chapelou o goleiro Marcos e na hora de completar cabeceou na trave. Fosse um jogo “normal” e o lance seria aplaudido, mas a reação foi de vaias. Apesar da falta de incentivo, o jogo era agitado, com os dois times mais na base da vontade do que na qualidade. O centroavante coxa era o jogador mais efetivo, e aos 8 minutos do segundo tempo quase abriu o placar.

O Couto Pereira estava quase vazio. Foto: Albari Rosa
O Couto Pereira estava quase vazio. Foto: Albari Rosa

Naquele momento, o ambiente era silencioso no Couto Pereira. A torcida já não se manifestava – além de tudo, havia a chuva. E o Goiás começou a pressionar para tentar uma vitória que o deixaria muito perto do acesso. Mas quem marcou foi o Coxa. Aos 27 minutos, Chiquinho cobrou falta e Rafael Lima desviou para abrir o placar.

+ De olho: Confira a tabela da Série B!

O empenho dos jogadores impressionava – certamente haveria quem questionasse porque não foi sempre assim. E com a blitz goiana, o Coritiba se virava para segurar o resultado. Só que os visitantes demonstravam mais nervosismo do que os pilhados donos da casa. E com isso foi possível administrar uma vitória que não vale muito, mas que serviu para os alviverdes reafirmarem que vão levar o final da temporada com seriedade.

Ficha técnica

SÉRIE B
2° Turno – 36ª Rodada

CORITIBA 1×0 GOIÁS

Coritiba
Rafael Martins; Leandro Silva, Rafael Lima, Alan Costa e Abner (William Matheus); Simião (Julio Rusch), Vitor Carvalho, Matheus Bueno e Chiquinho; Guilherme Parede (Pablo) e Alecsandro.
Técnico: Argel Fucks

Goiás
Marcos; Alex Silva, David Duarte, Victor Ramos e Ernandes; Gilberto Júnior, Felipe Gedoz (Madison) e Giovanni; Michael, Lucão e Maranhão (Rafinha).
Técnico: Ney Franco

Local: Couto Pereira
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
Gol: Rafael Lima 27 do 2º
Cartões amarelos: Vitor Carvalho, Abner, Julio Rusch (CFC); Lucão, Madison (GOI)
Renda: R$ 16.705,00
Público pagante: 1.129
Público total: 1.235

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!