O atacante Alecsandro, depois de um ano apagado e de pouco destaque no Coritiba em 2017, se emocionou ao retornar ao clube para iniciar a pré-temporada de 2018. O jogador estava emprestado pelo Palmeiras no ano passado, mas tinha um pré-contrato assinado com o Coxa e espera dar a volta por cima e ajudar a retornar à primeira divisão.

O centroavante, filho do ex-jogador Lela, que brilhou no clube na década de 80, afirmou que recebeu algumas propostas, mas admitiu que o choro do seu filho ao ver o Alviverde rebaixado no final do ano passado pesou na sua decisão.

“Recebi várias propostas do futebol brasileiro, de clubes da Série A e da Série B. Isso me deixou muito feliz, apesar de não ter jogado tanto e apesar de o clube estar em dificuldades. Acabei nem dando ouvidos. Minha decisão, com meu filho chorando ao pé da televisão, foi de querer voltar para o clube.

Estou um pouco emocionado e é normal. Falar do Coritiba é difícil para mim, porque cresci aqui. Então, espero que, em 2018, a gente possa fazer um grande campeonato, que o torcedor possa incentivar. Vou procurar fazer o meu melhor”, afirmou Alecsandro, com os olhos marejados.

A contratação do jogador foi bastante contestada ao longo do Brasileirão. O atleta, no entanto, conviveu com algumas lesões e não rendeu o esperado e ele marcou um único gol. O custo benefício para o Verdão foi baixo. Porém, a atual diretoria, comandada pelo presidente Samir Namur, acredita que o centroavante pode ajudar nos desafios da temporada.

“A questão do Alecsandro é contratual. Ele tinha um pré-contrato e dava a opção exclusiva para ele escolher. Ele teve uma conversa mais direta com o Augusto (Oliveira, diretor de futebol). Conhecemos ele há pouco tempo e a conversa indica um comprometimento com o Coritiba, uma dedicação e, nesse sentido de mudança que a gente espera o desempenho dele como atleta”, apontou Namur.

Com esse pensamento, Alecsandro encara essa continuidade no Coritiba não como a tentativa de dar a volta por cima, mas sim como um grande desafio na sua carreira. O jogador reforçou que sequer quis saber das propostas que chegaram até o seu procurador por ter a vontade de defender o Verdão neste ano.

“É uma questão interna minha, sou um cara desafiador. Meu procurador me ligou dizendo que tinha uma ótima proposta para mim, mas nem quis saber qual era o clube. Já estava definido, pela minha esposa, meu filho, que eu voltaria ao Coritiba. Não acredito que seja uma volta por cima. Para mim é um desafio grande, de provar que o clube é grande, que o time tem atletas de qualidade e que realmente pode fazer um grande ano em 2018. É o que a gente espera. Nosso foco é a Série B, não tem como correr disso e esperamos estar o mais forte possível para retornar o time à elite”, cravou.

Ao longo da carreira, Alecsandro não tem muita experiência na Série B, mas sabe o caminho para o Verdão retornar à elite em 2019. O jogador, diante da reformulação do elenco e com a promoção de muitos jogadores das categorias de base, garantiu que será exemplo para os mais jovens.

“Não tenho muita experiência, mas tem que tirar um pouco da parte técnica e ir mais na vontade, na raça. Não tem grandes contratações, apostam muito em jogadores da base. Isso traz uma vontade para o clube. Nós, mais experientes, temos que puxar a garotada. E temos que ser exemplos. Vocês vão ver diariamente, vou ser o primeiro a chegar para o treino e o último a sair. Espero que seja um 2018 muito positivo”, arrematou.