A reunião do Conselho Deliberativo do Coritiba, realizada na noite desta segunda-feira (26), que definiu o arquivamento do processo de destituição do presidente Samir Namur, foi marcada pelo retorno do ex-presidente alviverde, Vilson Ribeiro de Andrade, ao cenário político do clube. A argumentação do ex-dirigente foi, segundo o presidente do ‘conselhão‘, Marcelo Licheski, determinante para os conselheiros votarem a favor do arquivamento.

+ Leia também: Samir Namur permanece na presidência do Coritiba

“Foi fundamental a participação e a fala do Vilson, principalmente pelo tom do seu discurso. Ele pediu a união de todos os coxas-brancas e isso foi essencial e fundamental para a decisão da maioria dos conselheiros pelo arquivamento”, apontou Licheski, em entrevista à Tribuna do Paraná.

Durante a reunião, a mesa do conselho deliberou a realização da assembleia extraordinária para o dia 22 de dezembro. Depois disso, a comissão legislativa apresentou um parecer contrário à marcação da assembleia. “No requerimento, eles alegaram que não tinha fundamento e acabaram pleiteando o arquivamento do processo”, contou Licheski.

+ Mais na Tribuna: Argel Fucks pede ‘pacotão de reforços’ para 2019

Qualquer parecer da comissão legislativa é, obrigatoriamente, levado a votação no plenário. “Levamos então para a votação dos conselheiros. A votação foi nominal e aberta e, com a maioria, 81 a 66, entenderam pelo arquivamento do processo”, complementou o presidente do Deliberativo.

O outro lado

Enquanto o presidente Samir Namur garantiu a sua continuidade no cargo, os conselheiros que assinaram o requerimento da assembleia extraordinária se manifestaram sobre o arquivamento do processo. O conselheiro vitalício do Coxa e um dos proponentes da ação, Julio Jacob Júnior, afirmou que a decisão será respeitada, mas não concorda com o posicionamento da comissão legislativa.

“Entendemos que por haver previsão expressa de que deveria ser convocada a assembleia no Estatuto, não haveria necessidade de consulta sobre essa questão à Comissão Legislativa. No entanto, respeitaremos a decisão da maioria do Conselho por entender que as decisões sobre o destinos do clube devem ser mantidas intramuros, sem qualquer judicialização. Assim, respeitaremos a vontade da maioria dos conselheiros que são os representantes eleitos dos sócios”, afirmou.

Durante a reunião, segundo Jacob Júnior, Namur assumiu alguns compromissos diante dos conselheiros. Assim, os oposicionistas esperam que o mandatário alviverde cumpra os mesmos e consiga uma temporada bem melhor do que a que foi 2018, quando o clube colecionou fracassos em campo e passou longe de conseguir o acesso à primeira divisão.

“Esperamos que o presidente Samir Namur efetivamente cumpra os compromissos assumidos na noite de hoje e faça uma gestão mais participativa, inclusive com eventual alteração na composição do G5 e contratação de um CEO com efetiva experiência para comandar o Coritiba, em especial com pessoas com a capacidade de angariar recursos para que o time de 2019 seja competitivo”, finalizou Jacob Júnior.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!