Depois de quatro jogos oficiais realizados na temporada de 2017, o Coritiba ainda não convenceu e está longe de empolgar o exigente torcedor alviverde. Apesar de atuações seguras na defesa, o time comandado pelo técnico Paulo César Carpegiani está tendo muitas dificuldades no sistema ofensivo e a falta de poder de fogo do Coxa quase custou a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil no empate colhido em 1×1 diante do Vitória da Conquista, anteontem, na Bahia.

Depois de ter, nos três primeiros jogos do Campeonato Paranaense muitas dificuldades no setor de criação, sobretudo pela falta de um legítimo camisa 10, o Coxa conseguiu criar boas oportunidades diante do modesto time do Vitória da Conquista, mas estava com seus homens de frente em noite pouco inspirada. O ataque foi, inclusive, o setor mais reforçado pela diretoria alviverde neste início de temporada, mas os dois gols anotados em quatro jogos provam que o todo o sistema ofensivo carece de reforços.

Assim, o meia Daniel, que deve ser anunciado oficialmente nos próximos dias como novo reforço do Verdão, será a grande esperança do Coxa para melhorar o poder de criação do time alviverde na sequência da temporada. Até agora, o jogador mais utilizado foi Ruy, mas irregularidade do jogador nas suas atuações não fez o atleta se firmar entre os titulares de Paulo César Carpegiani.

Depois de perder a vaga para o meia Tiago Real no clássico contra o Paraná Clube, no último final de semana, Ruy foi titular no setor de criação contra o Vitória da Conquista e rendeu elogios do comandante alviverde. “O Ruy é bastante dinâmico. A hora que tiver a serenidade, tranquilidade de colocar a bola no chão, sem ter afobação, vai ser de grande utilidade para nós”, avisou o treinador do Coxa.

Mesmo sem ainda ter empolgado neste início de temporada, o comandante alviverde ressaltou a importância da conquista da classificação para a segunda fase da Copa do Brasil e acredita que, na sequência dos jogos, mantendo a repetição da equipe, o Coxa tem tudo para fazer um bom ano em 2017.

“O que temos que fazer é reunir forças. Viemos buscar a classificação e o objetivo foi alcançado. Na sequência, com uma repetição de equipe, seguindo esse caminho, temos bons jogadores e teremos um time rápido, propício a jogar nos contra-ataques. Temos que ter essa consciência e aguardar no próximo jogo e ver quem vamos ter à disposição”, ponderou Carpegiani.

O Coxa, sem muito tempo para se preparar, volta à campo amanhã, às 17h, diante do Foz, pelo Campeonato Paranaense, no Couto Pereira. Paulo César Carpegiani colocará o que tem de melhor à disposição, mas sempre respeitando a fisiologia dos jogadores para evitar lesões desnecessárias neste início de ano.

“Estamos saindo de uma pré-temporada e, além da pré-temporada, vários jogadores principais, que dispensam qualquer tipo de comentário, são os que não aproveitaram a pré-temporada. Estamos encontrando campos cansativos. Temos que dar uma repensada, uma freada e já falei para os jogadores no vestiário. Vamos colocar a equipe que vamos ter à disposição, sem correr riscos. Por exemplo, o Neto Berola, o Henrique Almeida, o Rildo. Vamos colocar aquilo que temos de melhor. Mas sem correr risco de sofrer lesão”, concluiu o treinador.