Campeão brasileiro e ídolo do rival Athletico, o técnico Geninho foi o responsável por salvar o Vitória do rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. Agora, o treinador encerra a temporada com seu time cumprindo tabela justamente contra o Coritiba, que está há um empate do acesso. O jogo será neste sábado (30), às 16h30, no Barradão.

Aliviado e com sensação de dever cumprido no rubro-negro baiano, Geninho não fugiu das perguntas. Respondeu sobre a possibilidade de ‘mala branca‘ levantada pelo presidente do Vitória, prometeu força máxima, revelou pedidos de atleticanos para dificultar a vida do Coxa e comentou sobre o futuro no clube baiano. Em relação à mala branca, ele foi enfático.

“É claro que existe. Quem falar que não existe mala branca no futebol está mentindo. Eu penso assim. Se é um incentivo para o atleta cumprir a sua obrigação, não tem problema. Agora, aqui no Vitória eu não escutei nada. Nenhum papo sobre isso. Até porque, quando acontece, a gente fica sabendo pelos boatos no vestiário. Mas eu não vi nada mesmo”, ressaltou.

Ao longo da temporada, o Vitória sofreu com problemas extra-campos, como salários atrasados, o que interferiu diretamente no desempenho do time na segunda divisão. Tanto que o rubro-negro baiano brigou contra a degola até as rodadas finais.

“Não é fácil trabalhar com salários atrasados. O Vitória é um clube que ficou dez anos sem atrasar salários, mas esse ano a conta apertou. Mas os jogadores não deixaram de treinar e se esforçar. Nesta semana não houve paralisação alguma, apenas um atraso no treinamento por conta de uma reunião com o presidente Paulo Carneiro”, afirmou Geninho, que garantiu que vai a campo com o que tiver de melhor.

+ Confira a classificação completa da Série B!

“Vamos nos despedir da torcida. Foi um ano difícil. Cheguei aqui há dois meses e o time tinha 82% de chance de rebaixamento. Conseguimos escapar com antecedência. Então os jogadores estão leves. Vou escalar o que eu tiver de melhor. Mas não terei os dois volantes titulares que estão suspensos. O Léo Gomes e o Lucas Cândido. O Léo acertou com o Athletico já faz tempo e o Lucas volta de empréstimo para o Atlético-MG”, ressaltou.

Pedidos de atleticanos

Por ter um carinho com os atleticanos, o técnico admitiu que foi procurado por torcedores para não facilitar para o Coxa, principal rival. “Quando nós fomos enfrentar o Paraná, tive alguns amigos que brincaram pra gente ganhar do Coxa. Mas na época nem sabiam que a partida iria chegar nesta situação. Faz parte do futebol esse tipo de rivalidade sadia”, completou ele.

+ Mais do Coxa:

+ Coritiba está contando as horas pro jogo mais importante da temporada