Um jogo tenso por 70 minutos e eletrizante por vinte. Atrás no placar o tempo todo, o Coritiba conseguiu virar sobre o Vasco no finalzinho da partida, mas levou o gol do empate nos acréscimos e acabou ficando no 2×2 na noite deste domingo (2), na Vila Capanema. Kléber, em campo graças a um efeito suspensivo, seria o herói da noite com dois gols, mas o gol de Wagner aos 46 do segundo tempo trouxe frustração ao Coxa.

Veja como foi o jogo no Tempo Real da Tribuna!

Com Kléber em campo, o Coritiba buscava mais confiança. Mas o jogo começou com erros de passe, faltas, chutes para longe. Ruim mesmo. Só teve perigo aos 12 minutos, com um chute de Rildo que assustou Martín Silva. Só que o Coxa tinha muitas dificuldades para criar, além de cometer erros simplórios, como um domínio de canela de Léo. Até que aos 21 minutos, Henrique cruzou na cabeça de Thalles, que subiu livre e tocou no contrapé de Wilson. O Vasco estava na frente.

Os resultados ruins recentes fizeram a torcida já cair na pressão e o time sentir barbaramente o gol dos cariocas. Demorou para os jogadores se reencontrarem em campo e para a torcida parar de vaiar e voltar a apoiar. Mas mesmo já mais tranquilos, os alviverdes ainda estavam devendo. A melhor oportunidade foi aos 34 minutos, com Werley cabeceando para fora um chute torto de Matheus Galdezani. Henrique Almeida também tentou, mas o goleiro uruguaio defendeu sem riscos. E se não fosse Wilson na cabeçada de Thalles, a primeira etapa terminaria com uma vantagem maior dos visitantes. Por isso as vaias voltaram ao apito do intervalo.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro!

Para solucionar a dificuldade de armação, Pachequinho apostou em Anderson, voltando após quase dois meses fora. Ele entrou no lugar de Léo, com Tiago Real virando lateral-direito. Mas impressionava o número de passes errados do Coxa, que impedia que acontecesse no mínimo uma pressão que incomodasse o Vasco. Some a isso à retranca dos cariocas e o jogo se arrastava, com os donos da casa sofrendo para criar oportunidades de perigo.

Percebendo que precisava de alguém para chutar de média distância e cobrar faltas e escanteios, Pachequinho colocou Tomas no lugar de Jonas. O Coritiba partia definitivamente para o tudo ou nada. Foi somente aí que o time conseguiu arrematar a gol, com Anderson fazendo Martín Silva trabalhar. E logo conseguiu empatar. Tomas cobrou escanteio, Márcio e Henrique tentaram, a defesa do Vasco ficou olhando e Kléber, sempre ele, cabeceou no canto.

Já com Neto Berola no lugar de Rildo, o Coritiba realmente passou a pressionar o Vasco. Reclamou muito de uma falta em Tomas Bastos – marcada fora da área, mas que para o Coxa foi dentro. Pouco depois, Werley teve a chance de virar e mandou para fora. Aí o Alviverde merecia a virada. Que veio com o personagem da semana. Aos 42, Anderson cruzou, Werley desviou, Neto Berola tocou de calcanhar e Kléber tirou do goleiro. Era para ser o da virada, mas Wagner, no último lance, deixou tudo igual.

Ficha técnica

BRASILEIRÃO
1º Turno – 11ª Rodada

Coritiba 2×2 Vasco

Coritiba
Wilson; Léo (Anderson), Werley, Márcio e William Matheus; Jonas (Tomas), Matheus Galdezani e Tiago Real; Rildo (Neto Berola), Henrique Almeida e Kléber.
Técnico: Pachequinho

Vasco
Martín Silva; Gilberto, Paulão, Breno e Henrique; Jean, Douglas, Yago Pikachu, Mateus Vital (Éder Luís) e Nenê (Wagner); Thalles (Rafael Marques).
Técnico: Milton Mendes

Local: Vila Capanema
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
Gols: Thalles 21 do 1º; Kléber 22 e 42 do 2º e Wagner 46 do 2º
Cartões amarelos: Jonas, Anderson (CFC); Paulão, Douglas, Martín Silva, Jean, Breno (VAS)
Renda: R$ 135.300,00
Público pagante: 8.020
Público total: 9.168