Desde o início ou entrando durante o confronto, o técnico Ivo Wortmann aposta na versatilidade de Guaru como uma arma a mais para passar pelo Atlético no clássico de amanhã, às 19 horas, no Couto Pereira.

O jogador tem recebido elogios do chefe por atuar tanto na ala-esquerda quanto na meia, como um segundo volante. Foi assim contra o Iguaçu e poderá ser também contra o Rubro-Negro.

Se o treinador não der mais uma chance para Carlinhos Paraíba, Guaru terá presença garantida na equipe e ele garante que está preparado. “Estou preparado e onde ele me escalar, tanto na lateral quanto no meio, espero ajudar a equipe a sair de campo com um bom resultado”, avisa.

Para o lateral-esquerdo e volante, ser curinga é uma vantagem. “Tem alguns jogadores que ficam chateados, mas é bom para o treinador e para quem tem versatilidade e pode jogar tanto numa posição quanto na outra, e isso ajuda bastante”, analisa.

Contra o Iguaçu, Guaru participou da vitória da equipe jogando um tempo na ala e outro pelo meio. A mesma coisa que ele fazia pelo Toledo, e onde marcou um golaço contra o Furacão. “Realmente, era outra situação, mas espero fazer, mas depende do trabalho da equipe e, se fizer, será uma boa”, relembra o jogador de 27 anos.

Mas, como agora veste a camisa alviverde, ele sabe que as cobranças são maiores, principalmente pelo centenário. “Todos estão cientes do que podem fazer em campo, e o que devemos fazer nesse clássico. Vamos aguardar as instruções finais do “professor”, para colocarmos em prática na partida”, projeta animado Guaru, com a possível titularidade.

Na visão do agora curinga, vencer será fundamental. “Atletiba é sempre um jogo importante, ainda mais agora que, depois do clássico teremos folga, então queremos fazer uma boa partida e conseguir um bom resultado para termos uma semana tranquila”, destaca.

Chamando a torcida

Para tanto, ele quer que o máximo de apoio possível. “Espero que a torcida apoie muito, mas também terá aquela cobrança e a gente está preparado também, porque isso é bom para o jogador. Assim ele desenvolve mais dentro de campo”, finaliza Guaru, que este ano herdou a camisa 6, que era de Rubens Cardoso.