O volante João Paulo não faz mais parte do elenco do Coritiba. O jogador assinou nesta semana a rescisão de contrato com o clube e viaja até o final de semana para o interior do Estado para assinar contrato com o Londrina, que há tempo já vinha buscando um acerto com o atleta, que tinha contrato com o Alviverde até dezembro.

Sem jogar desde o dia 29 de maio, quando o Coxa perdeu justamente para o Tubarão por 3×2, no estádio do Café, João Paulo ficou fora até do banco de reservas nas duas últimas rodadas. Questionado sobre uma eventual saída do volante, o técnico Eduardo Baptista, ainda em Caxias do Sul, após o empate em 1×1 com o Juventude, disse que a diretoria não havia confirmado nada.

“Não me passaram nada. Ele está no departamento médico. Acho que se tiver alguma coisa, a diretoria tem que sentar junto com a comissão técnica e pesar tudo isso. Não tenho opinião formada porque não foi me passado nada ainda”, despistou o treinador.

Apesar de ter sofrido uma pancada na costela contra o Londrina, o atleta também foi poupado justamente para poder ser negociado. Como atuou em seis jogos da Série B neste ano, caso entrasse em campo mais uma vez, não poderia mais defender o Tubarão nesta temporada. Em um primeiro momento, o Alviceleste queria um empréstimo, mas o Coritiba negou pagar parte dos salários e chegou a um acordo com o jogador.

Confira a classificação completa da Série B!

Aos 33 anos, João Paulo chegou ao Coritiba em janeiro de 2015, vindo do rival Atlético, e, neste período, fez 133 jogos, marcando três gols. Porém, nunca foi unanimidade na torcida, justamente por conta do passado, sendo, inclusive, defendido publicamente pelo então técnico coxa-branca Ney Franco, em 2015.

No final do ano passado, ainda na gestão do presidente Rogério Bacellar, teve seu contrato renovado por mais uma temporada como uma obrigação moral, pelo fato de ele estar lesionado, perdendo boa parte de 2017. O que acabou facilitando para a rescisão atual.