Ponta Grossa – Apático mais uma vez fora de casa, o Coritiba não conseguiu se impor e perdeu para o Operário por 2×0, no estádio Germano Kruguer, em Ponta Grossa, pela primeira partida da final do Campeonato Paranaense. Os jogadores, após o revés, reconheceram o fraco desempenho.

Dominado pelo Fantasma, o Coxa pouco criou durante toda a partida. Tanto no primeiro quanto no segundo tempo, a equipe alviverde apostava apenas em bolas alçadas na área e, na sua maioria, sem sequer olhar para ver onde que o companheiro estava.

“Sabemos que não fizemos um bom jogo. No segundo tempo ainda fomos melhores, mas não conseguimos marcar o gol e nem criar. Foi o nosso problema”, afirmou Wellington Paulista. “Não jogamos nada aqui”, resumiu Leandro Almeida, que teve a única chance clara para o Verdão, no final da primeira etapa.

Forte em jogada aérea, o Operário marcou os dois gols dessa forma. O elenco coxa-branca tinha sido alertado desta situação durante toda a semana, mas não conseguiu evitar a derrota. O goleiro Vaná, em um dia muito ruim, falhou nas duas ocasiões.

Dos gols marcados pelo time alvinegro no Estadual, dez foram feitos com essa jogada alçada – seja por cima ou por meia altura. “Foi nessa desatenção em bola parada que perdemos o jogo. Não jogamos bem, mas também teve o mérito do adversário”, opinou o técnico Marquinhos Santos.

Sem contar com Rafhael Lucas, vetado pelo departamento médico, e Welinton, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o comandante escalou Keirrison e Cáceres, respectivamente. Ambos, assim como todo o time, não conseguiram fazer nada em campo. “O Cáceres vinha entrando nos jogos anteriores e o Keirrison entrou muito bem contra o Londrina”, justificou.
Após levar o primeiro gol, o jogo estava parelho e o Coxa até desperdiçou duas chances com Wellinton Paulista. Depois disso, nada mais. “Sentimos o gol sofrido e levamos o segundo de forma semelhante. Fomos muito bem marcados e não conseguimos encaixar nossa proposta de jogo”, finalizou.

Torcida

Com 11 vitórias consecutivas dentro do Couto Pereira, o Coritiba se apoia novamente na força dentro do seu estádio. Mais que isso, a equipe venceu seis vezes por mais de dois gols, o que anima o grupo para reverter essa vantagem.

“O torcedor tem que confiar, acreditar. Tivemos outras situações adversas na competição e revertemos. E, em todos esses momentos, a torcida se fez presente e carregou o time. Mesmo nos momentos mais críticos. Venham para o Couto”, pediu Marquinhos Santos. E a receita para conseguir conquistar o trigésimo oitavo título do Campeonato Paranaense já está feita: fazer praticamente tudo ao contrário de ontem, no interior do Estado. “Agora é ter o equilíbrio. Temos que mudar a atitude, postura e ter mais atenção em bola parada. Não jogamos bem mesmo, mas não está tudo errado”, finalizou.

Violência

Quatro torcedores da Império Alviverde, organizada coxa-branca, foram presos pela Polícia Civil. As prisões foram realizadas sábado durante a operação “Bonde do Terror 2 “, deflagrada pela Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos da Polícia Civil do Paraná (Demafe). Uma pessoa continua foragida.

Complicou! Veja mais sobre o Coritiba na coluna do Massa!

Dormindo com o Fantasma! Veja a opinião de Mafuz sobre a derrota Alviverde!