O empate do Coritiba em 1×1 com o Rio Branco, na tarde de domingo (24), teve um peso negativo para o time, que vencia até os 44 minutos do segundo tempo e com um jogador a mais em campo cedeu a igualdade do placar. As críticas pelo desempenho caíram sobre o elenco em geral, mas a torcida não perdoou o atuação de alguns atletas, em especial do meia Juan Alano.

+ Leia também: Confira o que Coxa precisa para se classificar na Taça Dirceu Krüger

Substituído aos 22 minutos do segundo tempo pelo também meia Luiz Henrique, Alano chegou a ouvir vaias em sua saída de campo. O técnico Umberto Louzer abraçou o atleta e disse algumas palavras ao jogador para amenizar a situação. Ao final da partida, o camisa 29 assumiu que não estava em um bom dia e que faltou inspiração.

“Eu trabalho bastante para desempenhar o meu melhor. Infelizmente, tem dias que não sai como a gente quer. Esta foi o tipo da partida que a gente quer esquecer”, desabafou.

+ Mais na Tribuna: Coritiba quer tirar lição de empate e já mira clássico com o Paraná

O meio campista de 22 anos chegou ao Alviverde no início de fevereiro, vindo de empréstimo do Internacional, para reforçar a equipe que disputará a Série B do Campeonato Brasileiro. O objetivo principal do Coxa na temporada é conseguir o acesso à elite do futebol nacional. Juan Alano soma oito jogos e nenhum gol pelo Alviverde.

Louzer apontou que também viu falhas no desempenho do jogador, mas afirmou que Alano é um atleta que tem potencial e que isso poderá ser trabalhado ao longo do tempo. O cuidado com as peças do elenco por parte do técnico se deve ao fato de ele ter consciência que este será o grupo que vai disputar a Segundona.

+ Confira a classificação completa e a tabela de jogos da Taça Dirceu Krüger

“O próprio atleta com a fala dele já demonstrou que ele tem essa leitura que ele não estava em um dia feliz, errando gols, errando passes. E ele tem capacidade. No começo do jogo mesmo, com alguns segundos, ele teve uma chance para fazer”, disse o comandante do Verdão, que fez questão de lembrar do desafio que será o restante da temporada.

“A gente não pode perder atleta. É esse grupo e temos que fortalecer. Sabemos que necessitamos de mais peças, até porque vamos disputar um campeonato (Série B) mais longo e mais difícil, então temos que ter sabedoria neste momento. Precisamos detectar esses pontos (a melhorar) para que o grupo possa evoluir e entregar o que o torcedor deseja e o que esperamos para conseguir o objetivo maior que é o acesso”, finalizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!