Quando o Coritiba brigava contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, a diretoria reforçou o elenco com jogadores mais experientes e com rodagem nos principais clubes do Brasil. Entre eles, estavam o goleiro Wilson, o atacante Kléber e o lateral-esquerdo/meia Juan. Os dois primeiros rapidamente ganharam a torcida (Wilson pelas boas atuações e Kléber pela postura de não receber salários enquanto estava lesionado). Agora, é a vez de Juan se tornar peça fundamental no time.

Contratado por indicação do então técnico alviverde Ney Franco, Juan mudou suas características. Até então lateral-esquerdo, por já ter 34 anos deixou para trás a responsabilidade de marcar e passou a ser o armador coxa-branca. Jogando mais à frente, ele não precisa correr o campo todo e ainda tem a liberdade para criar e ficar mais próximo da área.

Com o técnico Gilson Kleina isto ficou ainda mais claro. Em 11 partidas que ele disputou no Campeonato Paranaense, marcou quatro gols e também vem se tornando um garçom do time. No ano passado, em 16 jogos, já havia marcado três gols. Para o treinador, foi justamente esta liberdade dentro de campo que, aliada à experiência, transformou Juan no ‘cérebro’ do Coritiba.

“O Juan acha o espaço muito bem. A experiência dele nos ajuda muito. Quando ele jogava como lateral já saía para o jogo e com essa liberdade agora no meio-campo ele vem sendo muito importante”, avaliou o comandante alviverde.