Se alguém ainda tinha alguma dúvida sobre a capacidade do atacante Leonardo com a camisa do Coritiba os dois gols marcados contra o América-RN devem ter enterrado todas as desconfianças.

Desconfianças essas que o próprio jogador sabia que teria que ultrapassar, mas a titularidade no Alviverde combinada com bons jogos, assistências e bola na rede ficaram para trás.

Para felicidade geral do próprio Coxa, que ganhou um camisa 9 que fez a torcida esquecer de Ariel, e também do jogador, que voltou a sorrir facilmente após amargar altos e baixos no Paraná Clube, Flamengo e Avaí.

“Eu já fiz um bom primeiro semestre e fui artilheiro da minha equipe no Campeonato Catarinense antes de vir para cá e a maior desconfiança era em relação a lesão e não em relação ao meu futebol, mas estou numa sequência boa, não estou machucando e o que eu sei fazer estou fazendo dentro de campo e as coisas estão dando certo”, avalia o jogador.

Para ele, trocar a Série A pela Série B foi a decisão mais acertada que poderia tomar. “Eu sabia que estava vindo para um time grande, com uma estrutura incrível e um projeto de voltar para a Série A e eu queria participar e aceitei o desafio e estou bastante feliz”, destaca.

Por isso, ele agradece a todas as pessoas que bancaram a troca da Ressacada pelo Alto da Glória. “O Ney (Franco, técnico) é o comandante e me indicou, mas não posso deixar de indicar o (Felipe) Ximenes (superintendente de futebol) e o Luís Alberto (Martins de Oliveira Filho, da parceira L.A. Sports) e o Vilson (Ribeiro de Andrade, vice-presidente), que bancou. Tem muita gente que comprou essa briga e eu estou feliz, estou fazendo por onde para o pessoal não se decepcionar comigo e as coisas estão dando certo e o Coritiba está no caminho certo”, projeta.

E o sucesso é tanto que a torcida já almeja a renovação de contrato para o ano que vem. É possível, Leonardo? “Ainda não conversei não, mas não vai ter problema não. É cedo para falar ainda porque o Coritiba tem o objetivo de subir e agora está todo mundo com a vontade grande de ser campeão de um título bastante expressivo então a gente não pode vacilar nessa reta final, temos dez jogos, 40 dias e não é hora de afrouxar e temos que manter a mesma pegada e fechar o ano bem”, completou o jogador, que completa 28 anos no dia 26 deste mês e tem cinco gols na competição.