O atacante Kléber deve demorar um pouco mais para voltar a defender o Coritiba. Com uma lesão muscular na coxa de grau dois e com uma entorse no joelho sofridos no duelo contra o Cruzeiro, quando estreou pelo Verdão, o jogador teve também uma lesão de menisco confirmada e precisou passar por uma artroscopia. Sem data para voltar a treinar, ele decidiu abrir mão do seu salário até que esteja recuperado e à disposição do técnico Ney Franco.

“Sei que a situação do clube não é difícil somente na tabela, mas também financeiramente. Eu não me sentiria bem estar machucado no clube e optei por essa iniciativa”, disse o Gladiador ao site oficial do clube. “O Coritiba me deu uma oportunidade de poder voltar a jogar uma Série A de Campeonato Brasileiro por um time grande. Claro que tive outras situações, mas escolhi o Coritiba por tudo que me ofereceu, pela cidade que é ótima e por todas as condições que o clube oferece. O Coritiba me dá todas as condições de trabalho”, emendou.

Com um contrato de produtividade firmado até o final do ano, Kléber, enquanto estiver no departamento médico, trará uma economia de R$ 200 mil aos cofres do Coxa. “Da minha parte, quero me recuperar o quanto antes e vou me dedicar ao máximo, dia e noite, para que isso aconteça. Se eu puder tratar dois, ou até três períodos vou fazer isso. Porque quero voltar a jogar, que é o que eu gosto de fazer. São vários motivos que me fizeram ter tomado essa iniciativa”, finalizou o atacante.

Velho problema

Apagado no empate sem gols contra o Figueirense, o atacante Keirrison deixou a delegação do Coritiba e voltou para a capital paranaense depois de sentir um desconforto no joelho direito durante a partida em Santa Catarina. Sem jogar há quase dois meses, o K9, que vem de um histórico de lesões no joelho, sentiu a falta de ritmo de jogo e foi substituído aos 20 minutos do segundo tempo, o que já era planejado pela comissão técnica. O jogador voltou para Curitiba para ser melhor avaliado e não enfrenta a Ponte Preta, amanhã, pela Copa do Brasil.

Pichação! Leia mais do Coxa na coluna do Massa!