De volta ao Coritiba para 2018, Tcheco foi anunciado na última quarta-feira (20) como o novo auxiliar-técnico do clube. O ex-jogador retorna ao Coxa após quase dois anos fora.

Tcheco se aposentou dos gramados em 2012, com a camisa do próprio Alviverde, mas permaneceu para fazer parte da comissão técnica. No ano seguinte, inclusive, a pedido do presidente na época, Vilson Ribeiro de Andrade, ele assumiu o comando do time no final do Brasileirão com a missão de manter o clube na primeira divisão, e conseguiu. Em três jogos, foram duas vitórias e um empate. A missão seguinte foi montar o projeto do sub-23, onde trabalhou até sair ir embora, no começo de 2016.

“Fiquei muito triste com a saída, não era uma coisa que eu desejava até pelos trabalhos que eu tinha feito. Assumimos o time sub-23, e assim que acabou o primeiro ano esse projeto acabou. Não entendi muito bem, mas a gente tem que aceitar, somos funcionários, são situações meio indelicadas e chatas, mas já passou”, revelou o auxiliar, em entrevista à radio oficial do Coritiba.

Depois disso, veio a opção foi por um ano sabático, quando ele visitou alguns países da Europa para, segundo ele, “ter uma outra visão do futebol”, e aí recebeu o convite do Paraná Clube.

“Estou muito mais amadurecido e a gente sempre está em busca disso, se atualizar. Agora, com o desafio com o Coritiba acho que cairia bem por já ter passado por esse processo no Paraná”, disse ele.

Identificação

Ele iniciou a temporada de 2017 na função de gerente de futebol do Tricolor. Somente depois da conturbada saída de Lisca do comando técnico é que virou auxiliar de Matheus Costa na campanhdo do acesso. Apesar do sucesso no rival, Tcheco tem a certeza que será bem recebido pela torcida alviverde.

“Eu tenho uma ligação muito forte com o Coritiba, o torcedor tem comigo e é um respeito muito claro. Acho que isso não interfere, vindo do Paraná Clube, fiz um trabalho bonito lá e eu acho que dá mais confiança ainda. Espero que (os torcedores) estejam conosco nesse novo desafio, a gente precisa muito deles”, afirmou.

A identificação com o Coritiba vem dos tempos de jogador. Entre 2002 e 2003, Tcheco foi a grande referência da equipe coxa-branca. Mesmo saindo durante a campanha, ele foi decisivo para a classificação do clube para a Libertadores de 2004, a última participação do Coxa na competição. O retorno em 2010 foi em um ambiente diferente. O Coritiba estava na Série B e a volta de Tcheco ajudou a consolidar a campanha que terminaria com o título da competição naquele ano. A aposentadoria veio aos 36 anos, depois de duas finais de Copa do Brasil, em 2011 e 2012.

Na última passagem, Tcheco foi técnico do time sub-23. Foto: Arquivo
Na última passagem, Tcheco foi técnico do time sub-23. Foto: Arquivo

Reencontro

Agora, aos 41 anos, o ex-jogador enfrenta mais uma vez o desafio de levar um time para Série A e chega em um clube cheio de profissionais conhecidos. Já trabalhou com o preparador de goleiros Vanderlei Belarmino, com o preparador físico Robson Gomes quando ainda era jogador e também com o treinador Sandro Forner no sub-23.

“Pra mim, é um grande prazer. Estou muito confiante, por isso também acabei aceitando (o convite para ser auxiliar). Além de ser um clube que eu gosto, também é um grande treinador e tenho certeza que a gente vai fazer um bom trabalho”, concluiu.

A escolha de Tcheco como auxiliar foi unanime entre diretoria e treinador. Inclusive, foi Sandro Forner quem indicou o nome do antigo companheiro.

Sem dúvida que o objetivo principal do próximo ano é levar o Coritiba de volta à série A do Brasileirão, e para isso o novo integrante da comissão técnica conta com o apoio do torcedor. “A gente sabe que vai ser um ano difícil, um ano complicado e a gente precisa da torcida mesmo no campo, para que a gente possa ter força e voltar a série A. Conto com todos vocês. Nunca deixaram o clube na mão e tenho certeza que agora não vão deixar,” encerrou Tcheco.