O Coritiba terá um comandante diferente para o clássico contra o Atlético, nesta quarta-feira (29), às 21h, no Couto Pereira. Com a suspensão do técnico Pachequinho, expulso no duelo contra o Figueirense, no domingo (26), o auxiliar Márcio Goiano, ex-jogador do clube na década de 90, estará à beira do campo com a missão de conduzir o Verdão rumo a vitória no Atletiba, que pode tirar o clube, inclusive, da zona de rebaixamento da competição nacional.

Márcio Goiano, que vestiu a camisa coxa-branca em 1998, não chegou a enfrentar o Atlético – e foram oito confrontos naquele ano. Coxa-branca de coração, o auxiliar faz parte da comissão técnica permanente do clube desde 2011. E está confiante no time, acreditando que a reação começa para valer neste Atletiba. “O clássico é um campeonato a parte, é o maior clássico do Estado. A nossa principal preocupação é tirar o Coritiba da onde está, fazer um grande jogo. Tenho certeza que vamos sair dessa situação”, apontou.

O ‘interino’ disse ainda que, logo depois do duelo contra o Figueirense, ao saber que assumiria o comando do Verdão neste clássico contra o Atlético, já começou a conversar com Pachequinho. Goiano confia no bom relacionamento dos cinco anos em que está trabalhando junto com o treinador para fazer um bom trabalho.

“Eu e o Pachequinho trabalhamos juntos desde 2011. Há uma sintonia muito boa, uma amizade muito sincera. Essa discussão de substituições prováveis durante o jogo, isso a gente faz diariamente, já venho conversando com o Pacheco desde depois do jogo contra o Figueirense”, acrescentou Goiano.

Histórico

Depois de iniciar a carreira no Goiânia e de passar pelo futebol paulista, o então lateral-direito Márcio Goiano disputou o Paranaense de 1996 pelo União Bandeirantes e foi revelação da competição estadual daquele ano. Depois, foi parar no Paraná Clube, voltou ao time de Bandeirantes e jogou pelo Londrina antes de vir ao Coritiba, em 1998. Naquele ano, Goiano assumiu a titularidade somente na quinta rodada do Brasileirão – ele viu, do banco de reservas, o Atletiba da primeira rodada, disputado no Pinheirão, e que terminou empatado em 2×2.

Depois que pendurou as chuteiras, Márcio Goiano foi convidado para fazer parte da comissão técnica do Coxa em 2011. “Tenho uma identificação muito grande com o Coritiba. Hoje sou coxa-branca. O sustento da minha família sai daqui. As vezes o torcedor não se dá conta, mas o Coritiba tem uma equipe de trabalho permanente muito unida, muito forte e o Coritiba está acima de todos nós. A gente sempre olha buscando o melhor para o clube”, finalizou Goiano.

Jogo jogado! Veja mais sobre o futebol paranaense na coluna do Mafuz!