Pela atmosfera encontrada pelo Coritiba em Porto Alegre, ontem à noite contra o Grêmio, a jornada alviverde tinha tudo para ser árdua. A equipe vinha de derrota na rodada passada para o Cruzeiro (1×0) e fora de casa, havia conquistado somente 4 dos 15 pontos. Pra piorar, dos 31 confrontos na capital gaúcha o Coxa só tinha vencido duas vezes.

A vitória, agora a terceira nos confrontos com o Grêmio, em Porto Alegre, teve o dedo do técnico Marquinhos Santos, que deu um nó tático em Renato Portaluppi. A estratégia de alterar o sistema tático, passando a atuar num 3-5-2, teve êxito. Além de anular a proposta do Grêmio, ainda proporcionou grande liberdade aos laterais. Após a partida o treinador exaltou o comportamento tático da equipe. “Mesmo não atuando tão bem tecnicamente, mas nesse jogo a equipe teve um comportamento tático muito bom, e uma compactação bem desenvolvida”, analisou Marquinhos Santos.

O Coxa não sentiu a ausência de Alex. Para o atacante Geraldo, a vitória fora de casa demonstrou a força do elenco. “A equipe tá de parabéns pelo resultado, todos se entregaram em campo. Uma vitória do grupo”, garante o angolano.

Reforço

O Coritiba está perto de contratar o meia-atacante Vitor Júnior, do Internacional. O jogador, de 26 anos, viria por empréstimo e para suprir uma lacuna no elenco, deixada com a saída do meia Rafinha para o futebol árabe. A negociação, inclusive, pode ser oficializada ainda hoje pela diretoria alviverde. O presidente Vilson Ribeiro de Andrade esteve ontem em Porto Alegre, para acompanhar a partida contra o Grêmio e ainda bater o martelo.