O técnico Marquinhos Santos tem uma preocupação extra para o duelo contra o Atlético-MG. O motivo tem nome, e é um velho conhecido do torcedor alviverde: Emerson. Recentemente negociado com o Galo, o zagueiro pode assumir o papel de espião, repassando ao técnico Cuca preciosas informações sobre o comportamento de seu ex-time. “Acredito que sim. Ele conhece bem a estrutura e o trabalho, e como é minha filosofia de jogo. Acredito que vai passar para o Cuca algumas informações”, previu o treinador.

Por ter passado as últimas três temporadas no Alto da Glória, o zagueiro Emerson é profundo conhecedor do dia a dia do Coritiba. Além de ter estabelecido algumas marcas pessoais com a camisa 3 alviverde, como a de segundo maior zagueiro-artilheiro da história do clube, com 21 gols, o jogador acompanhou toda a trajetória do técnico Marquinhos Santos no clube. Entretanto, o comandante alviverde garante possuir cartas na manga. Desde que Emerson deixou o Coritiba, mês passado, o treinador trabalhou novas alternativas de jogo. “Nós também trabalhamos, desde a saída dele, com algumas alternativas que ele desconhece”, ressalta.

Arma pela direita

Uma das novas estratégias do Coritiba, e que deverá ser colocada em prática hoje à noite contra o Galo, passa pela lateral-direita. A boa atuação do meio-campo Vinícius contra o São Paulo garantiu sua permanência pelo setor, que não conta com o titular Victor Ferraz – lesionado. Seguro na marcação, e incisivo nas descidas ao ataque, Vinícius tem ainda a seu favor a habilidade de criar jogadas pelas diagonais. Aliás, a posição de origem do jovem jogador, revelado pelo coirmão Paraná Clube, era justamente a lateral-direita. “É uma posição que eu conheço bem. Nas categorias de base do Paraná jogava de lateral-direito, e nos juniores fui pro meio-campo”, afirma Vinícius.