Com menos dinheiro em 2019 e precisando fazer caixa para poder reforçar o time, o Coritiba vê no meia Matheus Galdezani a solução para este problema. Emprestado ao Atlético-MG, o jogador de 26 anos pode seguir em Belo Horizonte.

+ Leia mais: Coxa se despede da temporada com vitória sobre o Fortaleza

O Galo sinalizou que pretende ficar com o atleta. Já o Coxa garante não ter condição de arcar com o salário do jogador na Série B. Desta forma, o clube mineiro terá que desembolsar R$ 3 milhões para adquirir 50% dos direitos do atleta que pertencem ao Alviverde. A prorrogação do empréstimo está descartada e as três partes têm interesse no na transação.

Caso Galdezani seja negociado, o Coritiba terá um respiro financeiro maior. A previsão orçamentária para venda de atletas já foi cumprida em 2018 e, por isso, o presidente Samir Namur garante que não irá vender revelações por valores mais baixos, como exemplo o atacante o Guilherme Parede.

+ Também na Tribuna: Argel Fucks quer que Pablo vire lateral-direito

“Nos últimos anos, o orçamento de venda foi de R$ 10 milhões. Neste ano o Coritiba já atingiu esse valor sem vender nenhum atleta do elenco atual. Apenas com porcentagem se outras vendas de jogadores que estão no exterior. São verbas que vieram do Vaná, Matheus Cunha e Jonas”, explicou o dirigente, em entrevista recente à Gazeta do Povo.

Matheus Galdezani foi contratado pelo Coxa em 2017 por empréstimo do Mirassol, quando o clube era presidido por Rogério Bacellar. Ele se destacou no título estadual e virou xodó da torcida. A diretoria chegou a fazer campanha de aumento de sócios para arrecadar dinheiro e comprar o jogador. Em junho, o Alviverde concretizou o negócio – os valores não foram revelados, mas giraram em torno dos mesmos R$ 3 milhões. Porém, o atleta caiu drasticamente de produção na campanha que culminou no rebaixamento.

+ Mercado: Coxa está de olho em destaque do Vila Nova

Nesta temporada, ele foi emprestado ao Atlético-MG após atuações ruins no Paranaense e perseguição da torcida. No Galo, Galdezani não é titular, mas é utilizado com frequência. O meia atuou em 23 jogos, sendo 11 deles iniciando a partida.

“A gente tem, sim, a ideia de permanência desse atleta. Vamos sentar com o Coritiba e ver a melhor possibilidade, a melhor situação para os dois clubes para que isso aconteça”, explicou Marques, diretor de futebol do Galo, em entrevista ao Globo Esporte de Minas Gerais.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!