A derrota e o péssimo futebol apresentado no primeiro tempo contra o Santo André fizeram o técnico Ney Franco revolucionar a equipe do Coritiba. Além dos retornos de Leandro Donizete, Pereira (que sente dores e pode dar lugar a Felipe) e Ariel, ele aposta em Rodrigo Heffner e Rodrigo Crasso nas duas laterais e ainda “testa’ Vanderlei no gol.

O meia Carlinhos Paraíba foi vetado. No ataque, ele ainda vai decidir entre Marcos Aurelio e Renatinho. “Eu acho que a gente vai mexer em algumas peças, mas se olhar o corpo da equipe, a forma dela jogar vai ser a mesma”, avalia o treinador. E por que a mudança no gol?

“Os dois goleiros têm condição de jogar de titular em qualquer equipe do futebol brasileiro. Quando eu cheguei, conversei com os dois, o Vanderlei estava voltando de lesão e o Edson (Bastos) tinha acabado de fazer um jogo comigo contra o Fluminense e indo bem. Falei que o Edson jogaria as duas próximas partidas pelo Brasileiro diante do Palmeiras e Santo André e iria dar um tempo para o Vanderlei de treinamento e que ele jogaria contra o Vitória. Após o jogo contra o Vitória eu definiria quem seria o titular e aí sim esse goleiro teria uma sequência”, revelou Ney.

Apesar dessas mudanças e da falta de tempo para treinar, ele acredita que a receita para vencer o Vitória é o equilíbrio. “Eles já têm o perfil de explorar o contra-ataque, ainda mais com essa vantagem e o que não pode ter de nossa parte é o nervosismo, a gente ter a consciência que temos 90 minutos para definir, temos que jogar bem organizado defensivamente, ofensivamente e atacar sem deixar a nossa defesa exposta”, aponta Ney. E por que tantas mudanças? “A cada dia eu venho conhecendo mais o grupo”, explica o treinador alviverde.