O vazamento da informação de que o Coritiba está tentando viabilizar a construção de um novo estádio (ou no terreno do Pinheirão, ou na Cidade Industrial de Curitiba) caiu como uma bomba dentro do próprio clube. A notícia seria divulgada na terça-feira (26), em uma entrevista coletiva do presidente Rogério Portugal Bacellar e do vice-presidente Alceni Guerra, que estava marcada no Couto Pereira. Porém, pela manhã, o Coxa cancelou esta entrevista e adiou para uma data que ainda não foi definida. O motivo? O fato de o novo estádio ter vindo à tona antes do que deveria.

Na noite de segunda-feira (25), na reunião do Conselho Deliberativo, a diretoria apresentou para os conselheiros os projetos que viabilizariam uma nova casa alviverde. E foi dali de dentro da reunião que a informação foi repassada antes da coletiva. Uma mostra de que no Coritiba ninguém consegue guardar segredo – inclusive o próprio vice-presidente, que na semana passada deu entrevista à Gazeta do Povo e revelou que o assunto seria tratado com o conselho.

Não é a primeira vez que informações passadas nestas reuniões vêm à tona. E isto não é ‘mérito’ desta diretoria, mas sim uma situação constante. Muito por conta da insatisfação que vem rondando o Coxa. Nesta última reunião, inclusive, os conselheiros queriam saber a respeito do futebol em si, devido ao mau momento da equipe no Campeonato Brasileiro, mas eram praticamente ignorados, com a diretoria falando apenas do projeto do novo estádio.

Incomodados com a falta de respostas, os conselheiros acabaram vazando o conteúdo da reunião como uma forma de mostrar que Bacellar não vem tratando de assuntos mais importantes e que realmente preocupam os coxas-brancas para dar prioridades a planos que ainda não foram concretizados.

Restando apenas mais três rodadas para o final do primeiro turno, ninguém no clube se pronuncia a respeito do futuro de Pachequinho, se ele será efetivado como treinador da equipe ou se vão em busca de alguém mais experiente para ficar com o cargo. Quem fala é apenas o diretor Alex Brasil, que foi o último a chegar e teve que assumir a bronca.

Além disso, embora o meia Juan tenha sido multado e afastado por dez dias, na semana que vem trabalhará normalmente com o elenco e com o próprio Pachequinho. Um problema interno que acabou se tornando assunto principal do clube e que pode vir à tona mais uma vez pelo fato de que os dois lados ainda não conversaram sobre o caso. E não realizar a coletiva fez com que o presidente coxa não tivesse que ser confrontado com a permanência ou não do interino, a situação de Juan e, principalmente, os problemas do futebol em 2016.

Perguntas sem respostas e também sem soluções, que acabam deixando o Coritiba sem rumo e também virando alvo de piadas. Nas redes sociais, os torcedores também não se mostraram empolgados com uma possível casa nova. Até por já não ser a primeira vez que este sonho vem à tona, a torcida não leva tão a sério a ideia e cobra da diretoria reforços e um time que mais uma vez não brigue apenas contra o rebaixamento.

Escolhas! Leia mais sobre o futebol paranaense na coluna do Mafuz!