Não é incomum um ex-jogador, e normalmente ídolo do clube, assumir o comando de uma equipe na reta final do Campeonato Brasileiro na tentativa de se salvar do rebaixamento. Desta vez, isto aconteceu com Pachequinho. Ex-atacante do Coritiba, ele tem a difícil missão de não se ‘queimar’ com a torcida em caso de fracasso. Mas, para evitar isso, ele pode recorrer a um conselheiro dentro do próprio Alviverde que conhece muito esta situação: Dirceu Krüger.

“Aprendi muito e aprendo até hoje com ele. Trabalhamos juntos há um tempão e ele sempre me ajuda. É muito bom tê-lo por perto”, ressalta o técnico do Coritiba. “Na dificuldade, você corre pro Krüger e ele te dá um conselho certeiro”, acrescentou o discípulo.

O reconhecimento e o respeito é o mesmo pelo outro lado. Krüger não poupou elogios ao pupilo. “O Pachequinho é muito inteligente. Ele tem qualidade, comando e muita facilidade para transmitir esse conhecimento”, disse um dos mais antigos funcionários do Coxa.

Os dois são velhos conhecidos. Quando Pachequinho chegou ao Coxa, na década de 1990, Dirceu Krüger já estava no clube. A ligação entre eles facilitou no desenvolvimento do ex-atacante como treinador, especialmente nos últimos anos.

“Muito do que ele me disse ajudou na minha carreira e ajuda até hoje. Tento assimilar, levo para o campo e dá certo”, disse Pachequinho.
O Coritiba tem uma difícil missão nos quatro jogos restantes do Brasileirão. Contra Goiás (fora de casa, hoje), Santos (no Couto), Palmeiras (fora) e Vasco (em casa) o time precisa somar dez pontos para evitar o rebaixamento. O número pode até diminuir, o que não ameniza a tensão da torcida e o impacto que ela terá no trabalho diário do atual treinador.

“Você já faz parte da história do clube e ao assumir uma nova função tenta fazer de tudo para dar certo. Mas sabemos como é o futebol e nem tudo é vitória. Tem que estar preparado”, avaliou Pachequinho. Para o técnico, é nessa hora que os principais ensinamentos de Krüger ganham mais importância.
“Tranquilidade, calma e paciência. Ele sempre me aconselhou nesse sentido e é isso que tiro dele como exemplo. Tivemos uma conversa assim que assumi e procuro explorar ao máximo tudo que o Krüger poder me passar, pois dali só vem coisa boa”, contou.

É hoje! Leia a opinião de Massa sobre a situação do Coxa!

Paraná Online no Facebook