Com menos de um mês para encerrar o prazo de inscrição das chapas que vão concorrer às eleições do Coritiba para o próximo triênio, as movimentações nos bastidores são intensas. Paulo Thomaz de Aquino, que seria o candidato de um grupo de conselheiros oposicionistas a atual gestão do presidente Rogério Portugal Bacellar, desistiu da candidatura e o novo nome deste grupo que vai concorrer ao pleito é o de Pedro Guilherme de Castro.

Pedro de Castro tem 40 anos, é engenheiro civil e pós-graduado em administração com ênfase em planejamento e gestão de negócios. O novo candidato à presidência do Coxa é fundador e sócio administrativo da P1 Engenharia, que está no mercado há mais de 12 anos. De acordo com o conselheiro Rui Bocchino Macedo, que faz parte deste grupo, foi o nome considerado ideal para concorrer ao pleito que ocorre no início de dezembro.

“O Pedro Castro será o candidato. Conversamos bastante entre nós, avaliamos todas as possibilidades, tentamos entender o contexto, o que está acontecendo com o Coritiba. Dentre os nomes, o dele foi muito bem visto, é uma pessoa jovem, dinâmica, empresário, engenheiro civil e que consegue ter esse tempo que o Coritiba precisa. É uma pessoa firme, com posições firmes, com uma visão boa de Coritiba, uma visão empresarial e que há tempos o clube não tem ou pelo menos não teve nos últimos três anos”, afirmou Macedo.

O conselheiro, que havia confirmado a candidatura de Paulo Thomaz de Aquino no mês passado, explicou os motivos que fizeram o ex-dirigente alviverde declinar ao posto.

“Ele pediu, achava que não era o momento. Ele tem outros projetos pessoais, declinou a candidatura, foi uma situação particular dele e é um cargo que precisa de tempo, que precisar estar ligado totalmente ao Coritiba. Ele reavaliou e viu que não teria esse tempo que o Coritiba merece e precisa”, destacou ele.

Além dessa chapa que está sendo articulada por esses conselheiros, outros dois grupos também deverão concorrer às eleições. Um deles é do candidato Samir Namur, de 34 anos, que ocupava o cargo de presidente do conselho deliberativo do clube, mas que se afastou recentemente para concorrer ao pleito.

A outra chapa é do médico João Carlos Vialle, de 73 anos, e que já esteve a frente da diretoria em outras oportunidades. Foi diretor de futebol em 2007, na campanha do retorno à primeira divisão, mas tem também o rebaixamento de 2009 no seu currículo. Foi também médico do clube no título do Brasileirão conquistado em 1985.

Situação

O presidente Rogério Portugal Bacellar descartou novamente qualquer possibilidade de reeleição. Segundo o atual mandatário alviverde, em entrevista coletiva realizada na última segunda-feira (16), isso está definido desde que foi eleito, há três anos, mas garantiu que abrirá as portas do clube para que os candidatos possam conhecer a atual realidade do Coritiba.

“Desde o primeiro dia eu disse que não seria candidato a reeleição porque eu acho que o presidente tem que dar a sua parcela durante uma gestão e não se perpetuar no cargo. O único interesse que eu tenho é ver o Coritiba grande. Agora se vai sair chapa de situação, não me surgiu nenhum nome. Agora comigo sempre vão ter portar abertas, Vialle e Samir, para eles saberem como o Coritiba está e para ficarem por dentro da realidade do clube. O Coritiba é hoje um clube que conversa entre si, em todas as suas áreas”, afirmou Bacellar.