A dupla Pedro Ken e Keirrison pode ressurgir no Coritiba. O meia, que pertence ao Cruzeiro, mas jogou os dois últimos anos no Vasco, está sendo sondado pelo Coxa. A negociação está sendo direta entre as diretorias alviverde e mineira e o jogador viria por empréstimo.

“Seria bom para mim voltar, porque é o clube em que fiquei 12 anos, além de ter minha família em Curitiba”, disse Ken.

Além de não ser aproveitado pelo técnico Marcelo Oliveira em Belo Horizonte, Pedro Ken, cujo contrato com a Raposa vai até o fim do ano, revela outro motivo que pesa para uma possível retorno ao Coritiba. O pai do jogador está doente e ele pretende ficar mais perto da família. “Seria importante estar em Curitiba neste momoento para ficar ao lado do meu pai”, afirmou o jogador, de 27 anos.

Outro que está próximo de fechar um acordo com o Coritiba é o volante Luis Cáceres, ex-Vitória. De acordo com o empresário do jogador, Miguel Gonzalez Zelada, a possibilidade de o Coxa contar com Cáceres é de 90%. As negociações estão bastante avançadas e faltam ‘pequenos detalhes’ para o acerto acontecer. O clube quer o empréstimo do atleta por duas temporadas, com opção de compra fixada. O empresário, contudo, pretende manter o volante no Alto da Glória por um ano, sem preferência de compra. Revelado pelo Cerro Porteño, Cáceres defendeu o Vitória nos dois últimos anos. Na época em que Felipe Ximenes era o superintendente de futebol (entre 2009 e 2013), o Coxa já havia tentado a contratação do paraguaio. “Agora o interesse está de volta. Estamos contentes e buscando as formas para ele jogar no Coritiba por pelo menos um ano”, afirmou Zelada.

Renovações

O Coritiba ainda negocia a permanência de dois titulares do elenco no ano passado. O clube quer manter os volantes Hélder e Rosinei, mas espera enquadrá-los na nova política salarial.

No caso de Rosinei, os valores são justamente o problema. De acordo com o empresário do jogador, Décio Berman, o Coxa tem preferência na negociação, só que ainda não foi possível chegar a um denominador comum. Livre no mercado após o fim do contrato com o Atlético-MG, o meio-campista espera ficar no Alto da Glória, mas não quer evitar uma perda salarial significativa.

A situação de Hélder é diferente, já que o volante tem contrato até dezembro com o Bahia. O clube baiano ainda não foi contatado pelo Coxa, que aguarda a definição de uma pendência entre o atleta e o Tricolor de Aço sobre salários atrasados.

“Hoje é mais provável a permanência dele no Coritiba”, revelou o gerente de futebol do Bahia, Alexandre Faria.

Robinho

O Coritiba recusou uma oferta robusta do Palmeiras para tirar Robinho no Alto da Glória. O clube paulista ofereceu cerca de R$ 2 milhões, além da vinda de alguns jogadores (pelo menos dois) por empréstimo para contar o armador coxa em 2015. A oferta por 50% dos direitos econômicos do jogador não seduziu o Cori. “Quem fez uma proposta oficialmente foi o Palmeiras. O Coritiba não aceitou, principalmente por questões técnicas. Mas o Palmeiras ainda mantém o interesse e negociações sempre podem mudar”, explicou o empresário Luiz Alberto Martins, da L.A. Sports, que detém parte dos direitos econômicos do atleta.

Num momento em que é difícil contratar, o Cori não pensa em perder as suas peças principais. “A proposta foi boa, mas nós não podemos mais ser time fornecedor. Temos que ser um clube comprador também. Temos que ter um time mais valorizado e o Robinho é muito importante”, afirmou o vice-presidente alviverde Ernesto Pedroso.