Jogando pelo empate para ser tetracampeão paranaense, o Coritiba pode erguer a taça do Estadual sem ao menos suar a camisa. Basta apenas que a ameaça do presidente do Atlético, Mário Celso Petraglia, lançada no final da noite de segunda-feira -via Facebook oficial do clube -se confirme. O dirigente protestou contra a arbitragem de Edivaldo Elias da Silva, que atuou domingo passado, e pediu árbitro de fora para a finalíssima que vai acontecer no Couto Pereira, alegando que se seu pedido não for atendido não permitirá que a equipe vá a campo.

A ameaça foi formalizada através de um ofício enviado à Federação Paranaense de Futebol. De bate-pronto, a FPF negou o pedido e determinou que o árbitro e os assistentes sejam do seu quadro. A escala deve ser divulgada amanhã e o risco de o Campeonato Paranaense terminar em WO é real, desde que Petraglia não volte atrás sobre a nota publicada na rede social. Confirmada a desistência do jogo, o clube pagará pelo ato do presidente. Não corre o risco de ser banido ou rebaixado para a Divisão de Acesso de 2014, mas, segundo o regulamento-geral das competições da FPF, será denunciado ao TJD com base no artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que prevê multa de R$ 100 a R$ 100 mil ao desistente. Ainda segundo o regulamento, o rebaixamento por WO só ocorre quando um clube não comparece a dois jogos denro da competição.

Na carta postada por Petraglia, recalam que Edivaldo Elias da Silva deveria ter expulsado o zagueiro Escudero, do Coritiba. O presidente rubro-negro ironizou e disse que “o argentino não joga nada e só dá socos e pontapés”. Além disso, o presidente atleticano garantiu também que o clube entrará com uma representação contra o defensor argentino, que via Twitter, em postagem realizada domingo à noite, tratou os rubro-negros como “porcos”.

Além da ameaça de não entrar em campo, Petraglia foi mais longe. Escreveu que em 2014 o Atlético pode disputar o Campeonato Paranaense com sua equipe sub-18. O presidente atleticano aproveitou também para provocar o rival. Segundo ele, o Coritiba só está na final do Estadual graças aos pênaltis não marcados para o Londrina, no Estádio do Café, no duelo em que o Coxa venceu por 1 x 0 e garantiu o título do 1.º turno.

Para finalizar, Petraglia provoca veementemente o zagueiro Escudero e, em nenhum momento na carta de protesto se refere ao defensor pelo seu nome. “Como na primeira partida, o argentino violento tomou um chulé, sua missão nesta última foi tentar amedrontar nossos jovens dando socos e pontapés com a complacência da arbitragem. Não conseguiu. Mostraram os nossos guerreiros meninos dentro de campo que são melhores, são valentes e mais homens que seus covardes agressores”, concluiu.