O presidente Jair Cirino dos Santos desmentiu ontem a saída do coordenador de futebol Felipe Ximenez. A informação foi passada à imprensa presente em Salvador por pessoas muito próximas à diretoria do clube, mas o mandatário alviverde garantiu que FX vai continuar, porque é fundamental ao projeto estratégico do clube.

“Não cogitamos em nenhum momento a saída do Felipe. Ele tem se revelado uma pessoa especial, as relações são ótimas no futebol brasileiro, um conhecimento ímpar na atividade que desempenha e não faz parte do pensamento da direção do Coritiba a substituição do Felipe”, justificou.

De acordo com Cirino, ele é muito importante na atual gestão. “E se ele, eventualmente, pedir demissão desenvolverei todos os esforços para demovê-lo disso, porque interessa ao Coritiba a permanência, o desenvolvimento do trabalho dele, que tem sido ótimo desde o primeiro momento em que pisou no Alto da Glória”, apontou.

O site do clube, inclusive, ressaltou a participação efetiva que Ximenez teve na aproximação do clube com o BMG, novo patrocinador do Coxa. O dono do banco, Ricardo Guimarães, foi presidente do Atlético/MG e trabalhou com FX.

E essa parceria com os mineiros acabou levando o clube a não acertar com Nadin Andraus na seção de direitos econômicos de alguns atletas por cerca de R$ 2,5 milhões.

“Estávamos em entendimentos, mas agora com o aparecimento do novo parceiro, conversamos com o Andraus e os entendimentos não prosperaram porque não corresponderam mais aos interesses do Coritiba. Isso não prosperou e não vai prosperar”, finalizou Cirino. Nos bastidores, a informação é de que o clube pediu o pagamento à vista para fechar o contrato e Andraus tentou pagar em duas vezes.