Enquanto Capitão Hidalgo mostrou tranqüilidade e quase indiferença às acusações de Dorival Júnior, Durval Monteiro mostrou bom humor e agradeceu a mídia recebida no desabafo do técnico quarta-feira à noite após a vitória sobre o Atlético-MG por 2 a 1.

Ambos negaram a acusação feita pelo treinador do Coritiba: que teriam divulgado uma suposta pedida do dobro do salário atual para permanecer no Alto da Glória. Esse seria o motivo da irritação do comandante alviverde, que estaria sendo cobrado por torcedores de uma maneira até inadequada. Por isso, a justificativa da fúria na entrevista coletiva.

“Eles fizeram uma confusão porque num debate na (Rádio) Difusora eu disse que a Inglaterra já está com uma dívida de R$ 6 bilhões (entre os principais clubes) e o futebol atual não permite mais isso e que ficar pagando salários altos é para quebrar o clube”, explicou Hidalgo, ídolo dos anos 1970s e que foi diretor de futebol do próprio Coxa em 2005.

Durval Monteiro diz que o treinador alviverde se precipitou ao citá-lo. “É tudo mentira dele. Ninguém se meteu no salário dele porque não é da nossa alçada. Falaram que ele estava tentando a renovação e comentei que não era o momento de tratar sobre isso”, explicou Monteiro, que trabalha nas Rádios CBN e Globo e ainda mantém o programa A Caminho do Gol na Rádio Colombo.

Segundo o profissional, o treinador não tinha o que explicar após a partida contra o Galo. “Ele sentiu na pele a vaia da torcida, ele é muito teimoso e a torcida é que escalou o Ariel (Nahuelpán)”, afirmou.

Mesmo assim, Durval não ficou triste com a exposição inesperada. “Foi bom porque fiquei na mídia. Todo lugar em que chegava o pessoal logo pegava ao Paraná-Online e me mostrava”, completou.