Retraído diante de câmeras e microfones, o meio-campista Rafinha não conseguiu escapar das entrevistas após a partida de terça-feira, quando o Coritiba goleou o América-RN por 5 x 1.

Também pudera. Além de marcar um gol, fez a assistência para outro, o que comprovou a importância do jogador para o Coritiba nesta Série B. Rafinha tem sido especialista nas duas funções nesta caminhada do Coxa em busca do acesso para a Primeira Divisão no ano que vem.

E mais: candidato a melhor jogador da competição, o meio-campista de 27 anos torce para ser o escolhido, mas, independentemente da eleição, já comemora 2010 como o melhor ano da carreira.

“É difícil falar de mim, estou fazendo o meu trabalho, fazendo o melhor dentro de campo e deixo para as pessoas de fora, a imprensa e a torcida elegerem o melhor jogador. No final do campeonato, se isso acontecer, vou ficar muito feliz”, aponta.

O jogador admite estar num ótimo momento. Por isso, ele aponta 2010 como seu melhor ano. “Estou feliz. A família também está feliz, numa cidade boa, num clube bom, então acho que este ano seja o melhor da minha carreira”, avalia.

Sobre o futuro no Alto da Glória, ele afirma que primeiro quer garantir o retorno do clube para a Série A para depois pensar nisso. No entanto, dá a dica. “Estou feliz aqui e fui bem tratado e bem acolhido. Claro que quero permanecer por muito tempo aqui”, projeta.

Rafinha pertence ao São Paulo até o final de 2011. O jogador, no etnato, tenta se desvencilhar antes do clube do Morumbi. “Tenho uma pendência com o São Paulo, mas estou brigando na Justiça ainda para ver se consigo essa liberação. Conseguindo vai ficar mais fácil permanecer no Coritiba”, finaliza o jogador, que já fez nove gols e deu seis assistências na Série B.