O meia Rafinha, apesar de atualmente estar no Coritiba, se recuperando de uma fratura, ganhou na Justiça o direito de receber do clube pagamentos atrasados referentes à sua primeira passagem, entre 2010 e 2013. A decisão partiu da Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho, que, no último dia 9, rejeitou, por unanimidade, o recurso de revista do Coxa sobre o caso. Os valores que terão que ser pagos não foram revelados.

De acordo com a ação, o contrato de Rafinha com o Alviverde seria reajustado a cada nova temporada, assim como os direitos de imagem, que eram pagos por fora, ou seja, sem constar na carteira de trabalho. No entanto, o clube nunca atualizou estes valores dos direitos, pois entendia que eles não teriam efeitos trabalhistas e que eles são negociados diretamente com o atleta.

Porém, Rafinha alega que esse acordo era parte do seu salário e, por isso, teria que constar também no 13º, férias e FGTS, o que acabou não ocorrendo.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Desta forma, o Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região do Paraná deu causa ao meia, uma vez que, como os pagamentos eram mensais, entendeu que este acordo fazia parte do salário do jogador como um todo, não sendo restrito ao uso da imagem do camisa 7.

Além disso, foi constatado que muitos dos vencimentos foram pagos com valores inferiores, iguais ou superiores ao salário oficializado, o que caracteriza uma fraude à legislação trabalhista.

A reportagem tentou contato com o Coritiba, que não quis se pronunciar sobre o caso.

+ Mais do Coxa:

+ Com os novos reforços, Coritiba pode mudar radicalmente o time e o ataque
+ Rafinha fala pela primeira vez sobre fratura em Atletiba: “Ouvi o osso quebrando”


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?