Registrado pelo Coritiba para servir como ponte para ser transferido para o futebol chinês, Dion Henrique Andrade Alves agora está processando o Coxa na Justiça do Trabalho. Visivelmente fora do peso, o jogador virou motivo de piada quando teve sua foto vazada na internet com a camisa coxa-branca dentro da sala de imprensa do clube ao lado de outros dois atletas, em junho do ano passado. A história, que nunca foi bem explicada pela diretoria do Verdão, não poderia ter terminado de maneira pior.

Na oportunidade, a diretoria do Coritiba explicou que tanto Dion Henrique como os outros atletas faziam parte de uma parceria técnica construída com o futebol chinês. E foi, de fato, um “negócio da China”, que pode prejudicar as finanças do clube a partir de agora. No mês passado, o atleta entrou com uma ação trabalhista contra o Coxa.

Além da foto na sala de imprensa, Dion Henrique postou, em suas redes sociais, outras fotos dentro do CT da Graciosa. Sem o menor constrangimento e vestindo o uniforme de treino do Verdão, o “jogador” tirou fotos bizarras e que viraram chacota na internet.

Visivelmente fora de forma, Dion posou para fotos na sala de imprensa do Coritiba.  Foto: Reprodução/Facebook
Visivelmente fora de forma, Dion posou para fotos na sala de imprensa do Coritiba. Foto: Reprodução/Facebook

Dion tinha contrato de um ano com o Coritiba com salários de R$ 1 mil, mais R$ 500 por participação em jogo e ainda alojamento nas dependências do Couto Pereira. O atleta relata que foi despejado em agosto do ano passado e disse ter sido constrangido pelo clube ao assinar documentos que comprovariam sua demissão por justa causa.

A indenização pedida por Dion Henrique, que sequer chegou a desembarcar no futebol da China, é de R$ 40 mil. Na época, quem intermediou a negociação foi o CEO do clube, Maurício Andrade, que não está mais no Coritiba. A diretoria alviverde não quis comentar o caso, mas terá que mobilizar seu departamento jurídico para evitar o prejuízo neste caso.