Papel, caneta, calculadora e muito futebol. Assim será a reta final do Coritiba na Série B do Campeonato Brasileiro. O empate em 1×1 diante do Paysandu, no último sábado (27), em Belém, deixou a situação do time coxa-branca ainda mais complicada na busca pelo acesso à primeira divisão. Para voltar à primeira divisão e evitar, sobretudo, um grande prejuízo financeiro na próxima temporada, o Alviverde precisa praticamente de um milagre.

+ Leia também: Desatenção custa caro ao Coxa contra o Paysandu

A equipe comandada pelo técnico Argel Fucks, atualmente na 10ª colocação, precisa vencer seus últimos cinco jogos e ainda torcer para que seus principais concorrentes pelo acesso não conquistem nem metade dos pontos em disputa nesta reta final da segunda divisão. Não à toa, a probabilidade de retornar à Série A é menor do que 1%, segundo o site de estatísticas Chance de Gol.

Antes mesmo do duelo contra o Papão, a situação do Coritiba na Série B já era crítica. Ficou pior, já que além de não ter voltado de Belém com os três pontos na bagagem, o Coxa viu ainda boa parte dos seus concorrentes vencerem na rodada. Assim, a distância para o G4 aumentou para sete pontos. Mesmo diante desse quadro quase irreversível, os jogadores não jogam a toalha.

+ Mais na Tribuna: Coritiba tem choque de realidade na Série B

“Já estava difícil e a gente sabe que agora ficou ainda mais difícil. É complicado. Mas vamos pensar jogo a jogo. Se existe essa chance matemática, mesmo que seja mínima, temos que buscar”, disparou o zagueiro Rafael Lima.

Coritiba não pode vacilar mais na Série B. Qualquer erro pode custar o acesso. Foto: Albari Rosa
Coritiba não pode vacilar mais na Série B. Qualquer erro pode custar o acesso. Foto: Albari Rosa

A favor do Alviverde, está o fato de ter, nas cinco últimas rodadas, quatro concorrentes diretos na luta pelo acesso. Além do jogo deste sábado (3), diante do Guarani, às 19h30, no Couto Pereira, o Verdão terá ainda pela frente Goiás e Fortaleza, no Couto Pereira, e Ponte Preta, em Campinas. Ainda enfrentará o São Bento, que está na área intermediária da tabela e não tem mais nenhum objetivo nesta reta final da segunda divisão.

+ Tristeza: Corpo de Daniel será sepultado em Minas Gerais

Caso consiga fazer os 15 pontos nas cinco rodadas restantes, o Coritiba terá que ligar o secador. O Avaí, por exemplo, segundo colocado e com nove pontos de vantagem, não poderá fazer mais do que cinco pontos até o final da Série B. O time catarinense, terá cinco confrontos diretos, contra Londrina, Atlético-GO, Fortaleza, CSA e Ponte Preta.

O CSA, terceiro colocado, e o Goiás, que está em quarto, também são os principais focos do Coxa. Enquanto a equipe alagoana vai ter três confrontos diretos, contra Fortaleza, Atlético-GO e Avaí, terá também duelos contra Sampaio Corrêa e Juventude, que estão lutando para fugir do rebaixamento, ambos fora de casa.

Confira a classificação completa da Série B

Já os goianos terão uma tabela mais tranquila. Terá apenas o Coxa, na 36ª rodada, como adversário direto. Depois, enfrentará equipes que estão na parte debaixo da classificação. Nesses dois casos, o Verdão precisa torcer para que seus adversários não façam mais do que sete pontos daqui para frente.

Além dos times que estão no G4, o Coritiba tem também que torcer contra Atlético-GO, Vila Nova, Londrina, Ponte Preta e Guarani, que estão à sua frente na classificação. Nesses casos, especialmente os dois goianos, que possuem 51 pontos, a pontuação não pode ser maior do que nove pontos nas rodadas restantes. Já Tubarão, Macaca e Bugre estão mais próximos do Coxa na tabela.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!