O Coritiba tem uma verdadeira prova de fogo hoje, às 21h, diante do Atlético-MG. A partida, válida pela abertura do returno, será a oportunidade para o Alviverde comprovar que o período de instabilidade acabou, principalmete na condição de visitante. Se a equipe almeja uma reaproximação com o pelotão da frente terá que, impreterivelmente, conquistar pontos fora de casa. Contra o Galo, a meta terá de ser atingida sem Alex. Para não correr risco de se contundir, o jogador foi poupado e sequer viajou a Belo Horizonte.

O confronto contra o Atlético-MG ganha um caráter estratégico pelo momento vivido pelo Coritiba no Brasileiro. A conta é simples. Atual 8.º colocado, com 28 pontos, o time precisa somar pontos para atenuar a diferença para o rival Atlético, que com 35 pontos fecha o grupo dos quatro melhores colocados.

Somam-se aos ingredientes da partida o péssimo retrospecto alviverde fora de casa. Ao longo de todo o 1.º turno, a equipe conquistou apenas 7 dos 30 pontos em disputou longe de seus domínios (uma vitória e quatro empates, com 26% de aproveitamento). Por tudo isso, o poder de superação nunca foi tão exigido do Coritiba como na partida de hoje. O meio-campo Robinho se espelha justamente na único resultado positivo conquistado fora de casa, contra o Grêmio (1 x 0, na 12.ª rodada) para encontrar um equilíbrio e editar uma nova grande atuação. “Tínhamos encontrado esse equilíbrio, principalmente no jogo contra o Grêmio. É se espelhar nessa partida, que tenho certeza que faremos um grande jogo”, afirma.

Time pronto

Sem mistério, o técnico Marquinhos Santos deve oficializar a base que venceu com autoridade a equipe do São Paulo domingo passado. A única exceção passa justamente pelo craque do time. Por recomendação do departamento fisiológico, Alex permaneceu em Curitiba para realizar trabalhos específicos, que visam aprimorar a parte física. O motivo é o alto desgaste a que foi exposto na semana passada, quando disputou três partidas completas. “Esse trabalho é para que ele mantenha os índices de força e velocidade, sem que tenha o desgaste de jogo e viagem. Quando os testes apontam que isso é necessário, a gente o mantém aqui para que possa estar no seu maior nível de performance por mais tempo”, explica o fisiologista do clube Raul Osiecki.

No lugar do capitão e artilheiro do time na competição, com 9 gols, Lincoln assume o papel de organizador das jogadas. No último treinamento antes da viagem a Belo Horizonte o jogador, ao lado de Vitor Júnior e Robinho, já figurava pela meia-cancha. O Coxa conta ainda com o retorno do polivalente Gil, que cumpriu a automática e fica à disposição.