Veio tarde demais a reação do Coritiba na Série B do Campeonato Brasileiro. Invicto há cinco rodadas, desde a chegada do técnico Argel Fucks, que contabiliza duas vitórias e três empates, o time coxa-branca aumentou seu rendimento, passou a jogar bem, mas o empate em 1×1 colhido diante do CSA, anteontem, no Couto Pereira, praticamente minou as chances de acesso à primeira divisão ainda nesta temporada.

Para seguir buscando o retorno à elite, o Verdão terá que ser perfeito a partir de agora e vencer os seis jogos que lhe restam para terminar a segunda divisão entre os quatro primeiros colocados. A missão é complicada, quase impossível, mas o Coritiba não vai jogar a toalha. Pelo menos é isso que garante o técnico Argel Fucks. O treinador, que em pouco tempo conseguiu dar sua cara e padrão de jogo ao time coxa-branca, se tivesse chegado um pouco antes, poderia ter dado um rumo mais esperançoso ao Verdão nesta reta final da Série B do Campeonato Brasileiro.

+ Leia mais: Argel Fucks lamenta empate do Coritiba, mas não joga a toalha

Argel Fucks, com as mesmas peças que vinham sendo utilizadas pelos outros treinadores, conseguiu tornar o Coritiba competitivo na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Mais do que isso, conseguiu recuperar jogadores que vinham em baixa. Casos do zagueiro Alan Costa e do lateral-esquerdo Abner, que tornaram-se titulares com autoridade da equipe.

“Quando a gente pegou, sabia da dificuldade, do desafio e por isso que eu vim. Gosto de desafio. Para mim é muito gratificante ver o Abner fazer a partida que fez, ver o Alan Costa recuperado. Eram jogadores que estavam aí. Estamos no caminho certo. Vamos continuar trabalhando, buscando. Na minha vida as coisas nunca foram fáceis. Sempre foi tudo muito difícil”, apontou o treinador.

+ Confira: Coxa lamenta reação tardia, que não permite mais erros

Quando foi contratado, o Coritiba ainda corria o risco de rebaixamento à Série C. Argel Fucks, com oito pontos conquistados de 15 possíveis, jogou para longe qualquer chance de queda e ainda mantém o Coxa com chances de acesso. Elas são mínimas, é bem verdade, mas é isso que o clube vai buscar nessas seis rodadas restantes.

“A gente olha os números e o campeonato segue. A gente não ouviu bater o sino. Quando cheguei no Coxa, falava-se em rebaixamento. Temos 45 pontos e lembro disso quando chegamos, se ia brigar contra o rebaixamento ou para subir. Falamos que íamos pensar jogo a jogo e continuamos assim. Temos seis jogos, 18 pontos em disputa, três em casa e três fora”, emendou.

+ Veja a tabela e a classificação da Série B!

O Coritiba, segundo o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, tem apenas 2% de conseguir o acesso à primeira divisão. Para seguir sonhando, o time coxa-branca terá que vencer o Paysandu, dia 27, em Belém. Talvez pelo que o time coxa-branca tem jogado nos últimos jogos, seguir com chances de retornar à elite seja um prêmio de consolação para o técnico Argel Fucks, que em pouco tempo, conseguiu dar o tão falado espírito de Série B à equipe alviverde.

“Matematicamente ainda temos chances. Temos que pensar jogo a jogo. Para quem chegou e falava-se em rebaixamento, com seis rodadas de antecedência já conseguimos 45 pontos. A matemática muda muito, não é ciência exata. Temos jogos para jogar. Temos 18 pontos e precisamos buscar o resultado. Temos um jogo fora contra o Paysandu, é difícil, mas o time que quer um objetivo maior, não tem que escolher lugar, adversário e manter a postura que temos tido”, concluiu o comandante coxa-branca.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!