No ano em que fracassou na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, o Coritiba não conseguiu, de novo, achar um camisa 10. O time coxa-branca ressentiu muito de um armador nato, capaz de deixar os centroavantes na cara do gol e que chegasse ao gol adversário de forma mais perigosa. Foram testados oito jogadores nesta função, mas nenhum conseguiu se firmar. Por isso, o setor de criação deve ser prioridade da diretoria na formação do elenco para 2019.

+ Leia também: Com fim da Série B, Coxa inicia reformulação

O meia que mais atuou em toda a temporada foi Yan Sasse. Foram 31 jogos ao todo, sendo 16 como titular e apenas cinco gols marcados. Apesar de ter tido várias oportunidades, o armador não conseguiu ser um protagonista do Alviverde em 2018 e terá que, no ano que vem, buscar novamente seu espaço.

Já Chiquinho e Jean Carlos, com 23 participações cada, também foram os armadores que mais atuaram, mesmo contratados apenas para a disputa da Série B. Mas nenhum deles conseguiu se firmar, seja por problemas de lesão ou por questões técnicas. Chiquinho, na verdade, foi o que teve o melhor rendimento dentre todos os meias do Coritiba. Mas no seu melhor momento, quando se firmava entre os titulares, acabou se machucando e precisou passar por uma cirurgia no joelho. Voltou antes do tempo, só que acabou caindo de rendimento junto com todo o time.

Jean Carlos chegou após se destacar no Paulistão, mas não repetiu as boas atuações. Foto: Albari Rosa
Jean Carlos chegou após se destacar no Paulistão, mas não repetiu as boas atuações. Foto: Albari Rosa

+ Mais na Tribuna: Com bastidores mais calmos, Coritiba pode pensar em reforços

Jean Carlos, por sua vez, depois de uma boa participação no Novorizontino, no Campeonato Paulista, chegou com status de titular absoluto. No entanto, o armador até teve algumas oportunidades, especialmente no início da segunda divisão, mas não conseguiu emplacar boas atuações e acabou oscilando.

Alisson Farias, que veio do Brasil de Pelotas, também foi um dos que mais atuou na segunda divisão, com 17 participações. Mas acabou perdendo espaço, principalmente diante das trocas de treinadores que aconteceram no Coxa durante a temporada. O jogador, no entanto, começou bem a Série B, com boas atuações e assistências, mas não manteve uma sequência.

Além deles, outros quatro meias foram utilizados em 2018. Carlos Eduardo chegou no decorrer da Série B, mas sofreu com algumas lesões e pouco atuou. Kady teve mais chances na disputa do Paranaense e teve alguns problemas extracampo. Thiago Lopes, de eterna promessa, fez mais um ano ruim e não conseguiu ter uma sequência. O último a entrar foi o jovem Matheus Bueno, que ganhou uma oportunidade do técnico Argel Fucks já na reta final da Série B, quando o Verdão não tinha mais chances de acesso.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!