O Coritiba vive, neste sábado (3), uma prévia seu conturbado processo eleitoral. Em assembleia geral virtual, 4.948 sócios podem responder a uma consulta sobre a melhor data para pleito: a manutenção do dia 12 de dezembro de 2020 ou o adiamento para 6 de março de 2021. A votação, que não é definitiva sobre o tema, acontece das 10h às 14h, em área restrita do site oficial do clube.

O tema é polêmico nos bastidores do Coxa. A data original da eleição é 12 de dezembro, mas no início de setembro um grupo de 39 conselheiros fez um requerimento chamando uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo para discutir o adiamento.

Pandemia é o motivo do pedido de adiamento

O motivo alegado é que a votação durante o andamento do Brasileirão, que termina só no fim de fevereiro por causa da pandemia de Covid-19, poderia afetar o desempenho em campo e causar “danos irreversíveis” ao clube. O presidente Samir Namur, que não vai concorrer à reeleição, é favorável ao adiamento.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Porém, ao invés de ouvir somente os conselheiros, o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Licheski, convocou uma assembleia geral de sócios. O fato, na visão de muitos conselheiros, descumpre o estatuto.

Ou seja, o resultado deste sábado não decide, por si só, o destino do calendário eleitoral. Outro ponto importante: não há auditoria externa quanto à votação e o Alviverde tem acesso ao registro dos sócios. Procurado pela reportagem, Licheski confirmou que pretende levar o assunto para o Deliberativo após a assembleia.

Resultado pode indicar prévia eleitoral

Com ou sem definição, a voz dos sócios pode indicar o caminho político que o Coritiba seguirá.

“Aqueles que querem a manutenção da mediocridade atual, da gestão incompetente atual, votem para a prorrogação para março de 2021. Os que como eu querem a mudança radical e a implantação de uma gestão moderna e profissional no clube, votem pela manutenção da eleição em dezembro de 2020, respeitando o estatuto do clube”, disparou o pré-candidato Renato Follador, da chapa Coritiba Ideal, em vídeo recente divulgado nas redes sociais.

João Carlos Vialle, que nesta sexta-feira (2) encaminhou sua candidatura unindo outros dois grupos políticos, já se mostrou favorável ao adiamento do pleito para março de 2021.

+ Mais do Coxa:

+ Coritiba anuncia site de apostas como novo patrocinador
+ Justiça aprova Ato Trabalhista para o Coritiba
+ Quem são os boleiros candidatos a vereador nestas eleições?