Depois da dúvida deixada pelo novo diretor de futebol do Coritiba, Paulo Pelaipe, no início da semana, quanto à continuidade de Tcheco como técnico, o ídolo ganhou uma sobrevida depois da vitória por 1×0 sobre o Brasil, em Pelotas, na última segunda-feira (27). Apesar do aviso de que haverá “constantes avaliações do trabalho”, Tcheco vai poder preparar o time para uma sequência de jogos importante do clube na Série B do Campeonato Brasileiro, a partir do duelo contra o Boa Esporte, na terça-feira (4), no Couto Pereira.

Isto porque, depois de enfrentar o lanterna da segunda divisão, o Coxa faz dois confrontos diretos, contra Vila Nova, em Goiânia, e Londrina, no Alto da Glória, antes de encarar o CRB, fora de casa, que é outro time que está lutando contra o rebaixamento. Serão quatro decisões antes do duelo diante do Avaí, no Alto da Glória, que pode ser, de fato, o divisor de águas nas pretensões do Verdão na disputa da Segundona.

O treinador terá pela primeira vez uma semana toda para trabalhar visando o jogo contra o Boa Esporte. Depois que estreou diante do Atlético-GO, em Goiânia, o time coxa-branca fez quatro partidas em apenas nove dias. No entanto, o trabalho do treinador foi pautado apenas em conversas, alguns testes durante os jogos e poucos trabalhos em campo.

Até mesmo por isso, o comandante alviverde deve ter seu trabalho realmente avaliado no duelo diante do Boa Esporte de acordo com o que a equipe apresentar em campo. Com o respaldo dado oficialmente por Pelaipe na quarta-feira (29), tudo fica mais tranquilo, mas vencer o lanterna da Segundona e convencer continua sendo obrigação para Tcheco, e qualquer tropeço prejudicaria e muito os planos de continuidade no Coxa.

O treinador ainda tem a seu favor a empatia dos jogadores, que querem a sua permanência. Em uma dessas conversas, antes do confronto com o Brasil, ele ‘ganhou’ o grupo e houve uma mudança de postura satisfatória e que foi determinante para a conquista do resultado positivo no interior do Rio Grande do Sul. “O Tcheco já conhece o grupo. Temos essa semana um pouco mais trabalhar e na sequência será viagem e jogos seguidos”, afirmou Paulo Pelaipe.

Pra valer

O técnico, então, depois de apenas quatro jogos, já tem uma pressão pela frente, algo que ainda não tinha experimentado nas outras duas vezes que assumiu o time coxa-branca. Nas outras oportunidades, o profissional pertencia à comissão permanente do clube e comandou o Coritiba de forma interina. Desta vez, o presidente Samir Namur garantiu que Tcheco havia sido efetivado, mas com a brecha de poder voltar a ser auxiliar-técnico caso os resultados não fossem satisfatórios.

Por isso, o treinador precisa aumentar seu aproveitamento à frente do Coxa. Nesses quatro jogos e no duelo da segunda rodada, quando esteve no cargo na vitóira por 1×0 diante do Atlético-GO, antes da chegada de Eduardo Baptista, foram sete pontos de 15 disputados, totalizando rendimento de apenas de 46%.

Confira a classificação completa da Série B

Este é, inclusive, o aproveitamento atual do Coritiba na Série B. Com esses números, o Alviverde ocupa atualmente a décima colocação e está a quatro pontos do G4. Para recolocar o Verdão de novo na primeira divisão, Tcheco terá que elevar seu rendimento para pelo menos 70% nos 14 jogos restantes. Isto porque o clube, atualmente com 33 pontos, precisa fazer mais 30 até o final da Segundona para conseguir figurar na elite de 2019.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!