Vontade, comprometimento e confiança. Essas três características principais de qualquer time vencedor estarão acompanhadas com a escolha do técnico Tcheco para comandar o Coritiba na sequência da disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. O treinador, a partir de amanhã, quando o time coxa-branca enfrenta o Atlético-GO, às 16h30, em Goiânia, terá pouco tempo para treinar. Mesmo assim, segundo o novo comandante alviverde, o torcedor pode esperar uma mudança radical de postura da equipe para conseguir escrever uma nova história na Segundona.

“Tem que ter uma mudança radical realmente. De fora, a gente via que não faltava vontade, mas sentia uma certa falta de comprometimento com algumas situações de jogos e que comprometia nosso jogo. Por estar correndo errado um pouco, não estar naquele posicionamento ideal e, quando um não está alinhado com os demais, já começa a perder esse compromisso de ajudar o companheiro. Estamos cobrando muito isso dos jogadores”, apontou ele.

Conseguir agregar essas características ao time é o desafio de Tcheco para acabar com a oscilação do Coritiba na Série B. Mesmo com um primeiro turno ruim em termos de desempenho, o Coxa está hoje a apenas três pontos do G4. Por isso, o novo treinador quer alinhar, a partir de agora, eficiência em campo com bons resultados.

“A questão emocional passa muito pela confiança. Por mais que se tenha críticas internas e externas, o momento é de tirar um pouco da pressão. Falei para eles que ninguém faz 29 pontos à toa. Poderíamos ter feito mais? Com certeza. Não fugir da responsabilidade de ter um rendimento melhor. Estamos no bolo. A Série B está muito equilibrada. Precisamos mudar o astral, o estilo de jogo e conseguir a eficiência com os resultados para ter um pouco de tranquilidade. Uma coisa traz outra. É um processo. O primeiro deles é a confiança e, aos poucos, vamos conseguir o resto”, emendou o técnico.

A partir de amanhã, Tcheco terá quatro partidas à frente do Alviverde em apenas nove dias. Destas, três serão realizadas fora de casa. Jogar como visitante, aliás, é um dos pontos fracos da campanha do time até agora. Por isso, conseguir aumentar o rendimento nas partidas realizadas longe do Couto Pereira neste momento pode devolver o clube ao G4 da segunda divisão.

Confira a classificação completa da Série B

Segundo o comandante alviverde, esse aumento do rendimento passa muito pela confiança do time, que, neste momento, está em baixa. Além disso, ele está tralhando para deixar o Coritiba mais ofensivo, mesmo jogando fora do Couto Pereira.

“Isso passa pela confiança do jogador. Temos que passar isso para eles para que eles possam jogar um pouco de futebol, literalmente. Para que possam chegar mais no gol adversário, que é um problema muito sério que estamos encontrando, fora de casa principalmente. No último jogo do primeiro turno, contra o Fortaleza, chegamos pouco ao gol. Um time que quer subir, nem em termos de camisa, precisa de mais. Vamos tentar dar liberdade para eles, deixar jogar no campo ofensivo e preparar a parte defensiva. O jogador tem que ter confiança para jogar e estou tentando transmitir de forma real e explicita para eles”, finalizou Tcheco.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!