O clássico de amanhã vai colocar frente a frente dois velhos conhecidos. Marquinhos Santos e Claudinei de Oliveira são conterrâneos de Santos, no litoral paulista, amigos pessoais e atuaram – em períodos distintos – na base do alvinegro praiano. Com estilos parecidos, gostam de equipes ofensivas e que propõem o jogo. Característica que poderá fazer do Atletiba um duelo marcado pela técnica. É claro que a tensão está no ar, em especial pelo momento do Coxa, relegado às últimas colocações desde o início da Série A. Mas, no que depender dos comandantes, a expectativa é de um clássico de alto nível.

“Acho que fui o primeiro a ligar pro Claudinei quando ele foi efetivado no Santos. Havia passado por uma situação parecida no Coritiba e achei importante dar essa força para ele”, lembrou Marquinhos Santos. Os dois, mesmo tendo convivido praticamente com o mesmo círculo de amizades, nunca jogaram juntos. “Ele era de uma geração à frente.

É mais velho que eu e por isso nunca nos enfrentamos”, brinca Marquinhos, que aos 35 anos é o técnico mais jovem, em atividade, nesta Série A. “Acho que combinamos, pois nosso perfil de trabalho é bem semelhante. Integramos uma nova geração de profissionais no mercado brasileiro”.

Apesar da amizade, o primeiro encontro dos treinadores, em Curitiba, ocorrerá amanhã, no Couto Pereira. “Não houve tempo para nada no aspecto social. Vivemos uma maratona de jogos onde você só joga e concentra. Nem falei com o Claudinei”, revelou Marquinhos. Neste encontro, é claro, o treinador coxa-branca espera tirar algum proveito daquilo que conhece do amigo. “Acho que do outro lado ele também deve estar pensando a mesma coisa. O que tenho certeza, pela forma como a gente vê o futebol, é que tanto Coritiba quanto Atlético terão postura ofensiva. Com a devida cautela, mas sem abrir mão de procurar o gol”, cravou Marquinhos Santos.

Treinos

Hoje, pela manhã, o Coritiba faz o último treino antes da concentração para o clássico.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook