O técnico Tcheco passou e voltou a ser auxiliar no Coritiba. Foram sete jogos e nada menos do que 28 jogadores utilizados. Essa alta rotatividade neste período não pegou bem entre os jogadores. Para o volante Uillian Correia, essas constantes mudanças no time acabaram atrapalhando o desempenho do Verdão nas últimas partidas e, até mesmo por isso, a diretoria decidiu pela contratação de Argel Fucks para a reta final da Série B.

+ Leia também: Elenco do Coxa aprova chegada de Argel e elogia treinador

“A troca às vezes não mantém os 11 iniciais. Todo treinador gosta de manter os 11 iniciais ou uma base de um time. Claro que dificulta estar mexendo muito no time. Acaba não tendo entrosamento, mas isso são coisas de treinador e nós temos que respeitar sempre. Fiquei fora quatro partidas, trabalhei como sempre, sou profissional e não posso perguntar porque eu fiquei fora, porque eu saí. Tem que trabalhar e ser profissional. O Argel conversou e disse que quer manter os 11 sempre, dar padrão para o time, ter uma postura diferente e é isso que vai procurar fazer”, afirmou o camisa 6 coxa-branca.

Na derrota por 1×0 sofrida para o Londrina, semana passada, no Couto Pereira, o Coritiba entrou em campo com nada menos do que nove alterações em relação à rodada anterior. Em campo, o time mostrou uma falta de entrosamento e de conjunto que determinaram o revés sofrido para o Tubarão.

+ Mais na Tribuna: Coritiba começa do zero outra vez na temporada

“Tudo é complicado. Quando perde também, o jogador também não sabe a próxima partida em campo. As mudanças geram isso. É muita insegurança para os jogadores. Acho que quanto menos mexer, melhor. O jogador sempre fica mais confiante e mais tranquilo. Todo clube tem titulares e reservas. Porque aqui não vai ter? Tem que respeitar, ter a oportunidade e quando mais vai mantendo os jogadores nos 11, mais resultados acontecem. Retornei, mas foram nove mudanças. Então é complicado, mas cabeça de treinador tem que respeitar sempre e procuro sempre respeitar”, prosseguiu.

Apesar das críticas indiretas feitas ao trabalho do então técnico Tcheco, que agora voltou para a comissão técnica permanente, Uillian Correia fez questão de elogiar o ex-jogador e ídolo do Verdão. Por isso, o volante acredita que o agora auxiliar seguirá ajudando o Coxa na sequência da Série B.

Confira a tabela completa da Série B

“O Tcheco é um baita profissional, foi um grande jogador e tem história no Coritiba. Está sujeito a acontecer com qualquer um. É um baita profissional e vai ajudar até o final do ano. É normal, às vezes o treinador volta a ser interino. O Tcheco é uma grande pessoa, conversei com ele, ele tem uma cabeça boa e tem pensamento positivo para nos ajudar”, concluiu Uillian Correia.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!