Na última quinta-feira (8), quando foi entrevistado pela rádio Banda B, o presidente do Coritiba Samir Namur não quis fazer avaliações sobre os jogadores contratados pela sua gestão nessa temporada. “Só se você for me dizendo nome por nome”, argumentou. Mas talvez um atleta vindo em 2018 simbolize a falta de acerto da diretoria alviverde. No sábado (10), o atacante Pablo completou exatos três anos sem marcar um gol.

+ Leia mais: Jogadores do Coritiba admitem temporada fracassada

Pablo fez seu último gol no dia 10 de novembro de 2015. Naquela oportunidade, ele atuava pelo América-MG e, na 35ª rodada da Série B, fechou a goleada de 4×0 sobre o Vitória no estádio Independência, em Belo Horizonte. De lá para cá, ele passou por Atlético-MG, Vegalta Sendai (Japão), CRB e Coritiba, atuou em 54 partidas e passou em branco em todas elas. O Coxa foi a equipe em que ele mais atuou, 21 jogos até agora.

+ Na sexta: Em noite tensa, Coxa vence o Goiás

Contratado em fevereiro junto ao Galo, Pablo chegou elogiado pelo então técnico Sandro Forner. “Ele é um jogador também de lado de campo, que tem um bom drible, além dessa experiência de Série B”, comentou. No vídeo oficial de apresentação produzido pelo Coxa, o atacante se diz “audacioso”. “Gosto de tentar jogadas que muitos jogadores não tentam”. Sem falar do jejum de gols, ele afirma que a especialidade dele são as assistências. “Eu dou muitas, muitas, muitas assistências. Claro que tento os gols, mas minha característica é mesmo dar as assistências.

+ Leia mais: Wilson pode ir embora na próxima temporada

Mas a campanha do jogador não foi das mais brilhantes. Desde o início perseguido pela falta de gols, Pablo até começou como titular, mas perdeu espaço. Entretanto, é um dos poucos utilizados como titular pelos quatro técnicos do Coxa na temporada – Sandro Forner, Eduardo Baptista, Tcheco e Argel Fucks -, participando das três competições do clube no ano (Copa do Brasil, Campeonato Paranaense e Série B).

+ De olho: Confira a tabela da Série B!

Sem sucesso e sem gols, Pablo está perto de deixar o Coritiba. Dificilmente seu contrato, que termina no final do ano, será renovado. Diante do Goiás, na sexta-feira (9), ele entrou no segundo tempo, mas novamente ficou devendo. E simboliza, certamente sem querer, uma série de jogadores que não deram certo no Alto da Glória.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!