O novo técnico do Coritiba, Umberto Louzer, promete um estilo democrático de liderança perante seu grupo. Ao contrário de seu antecessor, Argel Fucks, que preferia ser o protagonista das decisões, o novato garantiu em sua apresentação oficial, nesta segunda-feira(25), no estádio Couto Pereira, que é aberto ao diálogo e que quer valorizar as figuras que representam autoridade dentro do elenco para usar isso a favor do time.

+ Leia mais: Coxa segue turbinando elenco pra 2019

Louzer, que teve o primeiro contato com a equipe no domingo (24), na final da Taça Barcímio Sicupira, mas apenas observando o time em campo, terá agora 12 dias de trabalho para conhecer seu grupo. O comandante explicou que quer conhecer melhor seus jogadores para identificar pontos positivos e potencializar qualidades. E essa análise do treinador não refere-se apenas a aspectos físicos e táticos.

+ Confira: Primeira entrevista coletiva de Louzer!

“Vamos procurar identificar dentro do grupo essas novas lideranças para que eles possam agregar para atingirmos nossos objetivos. A figura de liderança é muito importante. Em um vestiário fortalecido você colhe os frutos dentro de campo. É minha maneira de agir, sempre busco o equilíbrio”, detalhou o professor, que também lamentou a perda do goleiro Wilson, grande figura respeitada no elenco que ficará ausente por alguns meses para se submeter a uma cirurgia.

+ Também na Tribuna: Confira a seleção da Taça Barcímio Sicupira

O técnico destacou que apesar de fazer questão de manter sempre um diálogo com seus atletas, a palavra-final sempre virá dele. “Tem que se manter a hierarquia, mas sempre com diálogo franco, com transparência com os atletas, dando liberdade para eles. Porém, as decisões serão tomadas muito em função do treinador e de sua comissão”, enfatizou.

Ainda que vá bater o martelo em relação às decisões, Louzer quer ter o apoio de seus jogadores para que o trabalho seja ainda mais efetivo. Em situações adversas ele acredita ser válido o grupo ter uma figura de referência que possa ajudar aos demais jogadores.

“Os atletas também terão essa liberdade. Esperamos ter lideranças no grupo para que nos momentos mais difíceis dentro de campo, em uma partida, por exemplo, esse fator nos leve à vitória”, arrematou.

+ APP da Tribuna: As notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!