13 rodadas já se foram na Série B do Campeonato Brasileiro e, ao contrário do que se imaginou no começo da temporada, o Coritiba ainda não conseguiu convencer e se fixar no G4 da tabela, que garantirá o acesso à primeira divisão. Visto como um dos grandes – se não o maior – da disputa, a expectativa era de que o Alviverde figurasse ao longo da competição na ponta com tranquilidade. Mas não é o que vem acontecendo, já que, no momento, o Coxa está em sexto, com 20 pontos, e sofrendo para conseguir entrar na área de classificação.

Um dos motivos que contribuem diretamente para essa ausência do Coritiba na ponta da tabela é o desempenho abaixo do esperado nos jogos fora de casa. Em sete partidas longe do Couto Pereira, nenhuma vitória: foram quatro empates e três derrotas. Ainda que em casa o time não tenha perdido – soma cinco vitórias e um empate – os pontos que escaparam nos compromissos como visitante fazem falta.

Em alguns desses duelos fora, o Alviverde esteve muito perto de sair de campo vitorioso, mas não soube controlar o placar e cedeu o empate. Foi o que aconteceu, por exemplo, no jogo contra o Juventude, no dia 11 de junho, que acabou em 1×1. O mais amargo empate como visitante, até o momento, aconteceu na última sexta-feira (29), em Alagoas. Contra o CSA, no Estádio Rei Pelé, o Coritiba vencia por 2×0 até os 38 minutos da segunda etapa. Aos 39 os alagoanos marcaram de pênalti, e no apagar das luzes, aos 50, em cobrança de escanteio, igualaram.

Mesmo com o último resultado decepcionante, o técnico Eduardo Baptista viu em campo uma evolução da equipe e acredita que o Coritiba esteja no caminho certo para desencantar.

LEIA TAMBÉM: Coritiba faz testes com jogadores paraguaios

“A equipe não se abateu com o gol, buscou, tivemos duas chances depois do pênalti. Vi uma equipe bastante diferente do que vi nos outros jogos fora de casa. Os gols deles vieram de lances pontuais, é cobrar um pouco mais de atenção, e entender que nos últimos minutos a organização e a técnica ficam de lado, é briga. Talvez o vacilo foi aí”, explicou o comandante, que aprovou a organização ofensiva do time. “Tenho que deixar meus parabéns e a convicção que o caminho é esse”, completou.

Ainda que não esteja no topo, a diferença da pontuação entre o Coxa e o segundo colocado, o Avaí, é de apenas dois pontos. O Fortaleza, líder com 29, é o único time que está isolado do “pelotão” que tenta o acesso. Portanto, ainda é possível que o Verdão se recupere na competição e consiga se fixar no topo.

Confira a classificação completa da Série B!

Em julho o Coritiba disputa cinco jogos pela Segundona, todos com equipes que, no momento, figuram fora do G4. Paysandu, Guarani, São Bento, Goiás e Ponte Preta, todos fazem parte de um “bolo” de times que somam entre 15 e 18 pontos e que, dependendo da sequência, ainda podem acreditar no acesso.

Dessas disputas que terá pela frente, duas serão fora de casa (Guarani e Goiás). Portanto, com três jogos no Couto Pereira e perto de uma vitória fora – como destacou Baptista – esta é a oportunidade ideal para que o Coritiba desponte, finalmente, na competição.