O Coritiba começa a se preparar para desbravar a Copa do Brasil. Hoje cedo, todos os jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes irão tomar a vacina contra a febre amarela. Na primeira fase, o Alviverde enfrenta o Nacional, em Manaus. “Aquela região é endêmica para essa doença e não queremos expor os nossos atletas a pegar a febre amarela. Se existe uma vacina, porque não tomar para prevenir?”, justifica Lúcio Erlund, coordenador médico do clube. Por isso, quem nunca tomou ou está com a dose vencida irá acordar cedo para ir ao posto de saúde da praça Ouvidor Pardinho.

De acordo com o médico, a doença é transmitida por picada de mosquito e os sintomas se manifestam em uma semana. “Os primeiros sintomas são de febre, mas atinge fígado, rim e até pode levar à morte”, adverte o Erlund. A dose está sendo dada com antecedência porque precisa de dez dias para imunizar o organismo. A vacina não é só indicada para quem vai jogar na região Norte, mas para quem disputa torneios internacionais e precisa ir a países como Peru, Bolívia e Equador. Por isso, pode ser útil ao Coxa no segundo semestre se o time avançar à fase internacional da Copa Sul-Americana.