Depois de demitir o técnico Pachequinho por conta da sequência de resultados ruins na disputa do Campeonato Brasileiro, a diretoria do Coritiba segue agora em busca de um novo comandante. O nome de Vagner Mancini aparece bem cotado para assumir o time coxa-branca. O diretor institucional do Verdão, Ernesto Pedroso, elogiou o treinador, mas garantiu que não há nada concretizado.

“Acho ele um excelente treinador. Não o conheço pessoalmente, mas por onde passou as referências são muito boas. É um homem de personalidade forte e marcante. Temos outras opções e o Vagner não é a única opção. Não cravo o Vagner porque não conheço, não falamos nada e não acertamos nada. Nem faríamos isso por respeito ao Pacheco”, explicou o cartola, em entrevista à Rádio Transamérica.

Além de Vagner Mancini, outros treinadores estão também na pauta. Nos bastidores, fala-se do técnico Marcelo Oliveira, que já passou pelo clube entre 2011 e 2012 e é sonho antigo, mas que tem salário de pelo menos R$ 400 mil e alcançou outro patamar ao conquistar o bicampeonato brasileiro em 2013 e 2014 pelo Cruzeiro, além da Copa do Brasil de 2015 pelo Palmeiras. Fala-se também no técnico Fernando Diniz, que teve bons trabalhos no interior de São Paulo.

Marcelo Oliveira tem passado marcante pelo Coritiba, mas ficou um técnico caro. Foto: Arquivo
Marcelo Oliveira tem passado marcante pelo Coritiba, mas ficou um técnico caro. Foto: Arquivo

Pedroso, por motivos de saúde, não acompanhou o jogo diante da Ponte Preta, em Campinas. O dirigente junta-se nesta quinta-feira (20) à delegação no Rio de Janeiro, onde no sábado o Coritiba encara o Flamengo. A tendência é de que o clube defina seu novo treinador até sexta-feira (21) e que o preparador físico Robson Gomes comande a equipe diante do rubro-negro carioca.

“Temos algumas opções. Vamos trabalhar rápido amanhã (hoje) e depois para buscar um novo treinador. É muito difícil, pois há os acertos e outros itens que precisam ser tratados com o novo treinador. Temos nomes em vista. Queríamos que o Márcio (Goiano – auxiliar técnico de Pachequinho) ficasse, mas ele optou por sair junto. Temos o Robson Gomes que pode comandar o time perfeitamente e sem nenhuma dificuldade. Ele conhece os jogadores, conhece futebol e pode orientar a equipe contra o Flamengo”, emendou ele.

Confira a tabela completa do Brasileirão!

O dirigente lamentou a fase ruim do Coritiba e afirmou que a decisão pela demissão do técnico Pachequinho foi tomada em colegiado com o restante da diretoria. Para ele, o agora ex-treinador alviverde perdeu um pouco o comando, mas, principalmente, por algumas baixas por lesões e suspensões, como do atacante Kléber, que pegou uma pena de 15 partidas por ter cuspido no meia Edson, do Bahia, em duelo realizado no Couto Pereira.

“Tivemos percalços que são justificáveis, mas não são os fatos relevantes. Acho que o Pacheco perdeu um pouco o comando e as coisas não andaram como ele pretendia. O Anderson não correspondeu às expectativas que queríamos, se machucou duas vezes seguidas e isso também atrapalhou muito”, concluiu Pedroso.