A quatro pontos da zona de classificação para a Libertadores, o Coritiba tenta, diante do Cruzeiro, o impulso que falta para arrancar de vez no Campeonato Brasileiro e fechar a temporada classificado para o torneio continental. O sonho acalentado com bastante carinho no Alto da Glória se tornou mais próximo com os resultados recentes, em que a equipe alviverde voltou a se aproximar do melhor futebol apresentado na temporada.

Por isso, vencer a Raposa será fundamental para o Coxa não morrer na praia. O confronto começa às 20h30 no Couto Pereira. “Há algumas rodadas, o Coritiba não era muito citado. Se tivermos uma vitória aqui, vamos começar a ser lembrados. Vai nos dar um fortalecimento e acho que vai começar a definir posições de quem vai brigar e porque vai brigar. Mas nós sempre pensamos que poderíamos chegar”, avalia o técnico Marcelo Oliveira. Por isso, a mobilização é total.

“Todo dia a gente conversa isso, porque nós podemos mais e nós não podemos nos sentir confortáveis com o que já passou. Temos que pensar para frente e buscar resultado, porque a Libertadores está aí e seria um ano muito bom para o clube se isso acontecer”, destaca.

Na contabilidade do Alviverde, o plano é ganhar as sete partidas que ainda restam em casa, e mais nove pontos nas sete partidas fora de casa. “A gente quer ganhar todos os jogos em casa, onde o aproveitamento é muito bom, e buscar pontos fora de casa. Às vezes isso não acontece porque os adversários vêm com tudo. Uma ideia que não se pode ter é que o Coritiba vá atropelar todo mundo aqui, mas uma ideia que se pode ter é que podemos fazer grandes jogos e vamos tentar sempre, mas com muita luta, muita determinação”, avisa o treinador.

O time do Alto da Glória tem 35,4% de chances de chegar lá e está junto com o Fluminense, apontado com 37,4% de possibilidade, segundo o site chancedegol.com.br. Mesmo assim, passar pelos mineiros dá a força que o time precisa para entrar na briga direta pela Libertadores.

“Se a gente ganhar aqui a gente vai muito forte para os dois próximos jogos, principalmente porque temos uma semana inteira para trabalhar e podemos nos preparar bem e melhorar alguns jogadores que estão com pequenas contusões, mas estão participando, como são os casos de Donizete, Jeci e Pereira”, completa o treinador do Coxa.

Após o Cruzeiro, o Coritiba terá Ceará e Figueirense longe do Couto.