Yan Couto completa 18 anos na próxima quarta-feira (3). E antes mesmo de chegar à maioridade, o lateral-direito formado na base do Coritiba já sabe que seu futuro será escrito bem longe do Couto Pereira. Há três meses, em fevereiro, o Coxa aceitou vendê-lo por 6 milhões de euros ao Manchester City, da Inglaterra.

Poderia ser bem mais, acredita o adolescente-prodígio. Valorizado após se destacar na conquista do Mundial sub-17 com a seleção brasileira, o jogador não foi utilizado no time principal coxa-branca na Série B. Seu contrato venceria em dezembro de 2020 e, por essa razão, o clube optou por se resguardar e não correr risco de perdê-lo de graça – um pré-contrato poderia ser feito a partir de julho.

“Se tivesse jogado ano passado no profissional, eu sabia que poderia valer uns 20 milhões (de euros), como foi o Renan Lodi, como foi o Bruno Guimarães“, disparou o lateral, com convicção, citando duas vendas recentes realizadas pelo rival Athletico.

“Então, acho que não faz muita diferença de mim para eles. A única diferença é (o Coritiba) não terem apostado tanto em mim para ir ao profissional porque meu contrato estava acabando também. E eu poderia ter valorizado muito mais”, emendou.

Veja entrevista completa!

Capacidade técnica, ele garante que tinha para estar no grupo principal. “Estava dando 80% no sub-20 e estava sobrando ainda. Eu estava desanimado, mas falaram que a Série B era jogo muito duro e tal. Eu entendi. Mas pelo menos de julho, de agosto para cima eu poderia ter jogado já”, reiterou.

+ Yan Couto é a segunda maior venda da história do Coritiba

O jovem chegou a treinar no time de cima com o técnico Jorginho, um mestre em sua posição. Foi bastante elogiado, inclusive. Antes da partida decisiva para o acesso, contra o Vitória, no Barradão, Yan conta que deu duas assistências em um treinamento.

Mas se frustrou por não ser relacionado. Novamente por opção da diretoria, segundo ele. “Amo o clube. Quero sair pela porta da frente. A diretoria fez o que imaginavam. Eles têm medo do jogador sair de graça, mas eu nunca faria isso”, enfatizou.

Em condições normais, Yan Couto já estaria arrumando as malas para a Inglaterra. No entanto, a pandemia da Covid-19 vai adiar a viagem definitiva a Manchester. Assim, ao menos, ele pode ter a chance de vestir de novo a camisa do clube que defende desde os nove anos de idade. Quem sabe, até vencer um título, caso o Paranaense recomece em breve.

Yan Couto já está vendido para o Manchester City, da Inglaterra. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná

+ Empresário de Yan Couto cobra bolada “milionária” do Coritiba

“Falei com o representante do City e ainda pode demorar um pouco a ida para lá. A temporada não acabou e só posso jogar na próxima. Não sei se vão me levar quando fizer 18 anos. Então, tem uma grande chance de ficar mais um, dois meses no Coritiba. E aí (jogar) depende do Barroca também. Mas estou à disposição, sim, de fazer alguns jogos e me despedir da torcida”, contou a joia coxa-branca, que ainda deve render mais 6 milhões de euros ao clube. Depende dele, basicamente.

“A cláusula é (disputar) cinco jogos da Champions League ou Premier League em cinco anos. Espero que consiga, aí o valor dobra. Acho que é muito possível e o Coxa vai ganhar a outra parte do dinheiro (da transferência)”.

+ Mais do Coxa:

+ Coritiba encaminha renovações de contrato de meia e zagueiros
+ Barroca crê que Coritiba terá “paradas duras” no início do Brasileirão
+ Clubes se unem contra Turner e contratam empresa indicada por Petraglia

+ Campeonato Paranaense pode voltar em junho


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?