Fernando chega hoje com a
liberação do Grêmio.

Em teoria, os atletas que estarão hoje na reapresentação deverão formar a base coxa para o ano que vem. Por isso, a expectativa é grande em saber se Lúcio Flávio e Da Silva vão se apresentar. O primeiro não deve se ausentar, mesmo com uma negociação entre Atlético-MG e Paraná (dono do passe do meio-campista) estar a pleno vapor. “Ele vai se apresentar normalmente”, garante o procurador Ney Santos. Já o atacante deve ser o principal ?desfalque? do dia, uma vez que as conversas para a renovação de seu contrato empacaram.

Também estarão no CT da Graciosa jogadores que foram envolvidos em possíveis negociações nos últimos vinte dias. Os mais citados foram Reginaldo Araújo e Picolli, que despertaram interesse de Paysandu e Guarani, respectivamente. Mas não só eles foram sondados: segundo a diretoria, os jovens destaques do Cori, como Lima e Adriano, acabaram sendo alvo de interesse de alguns clubes.

Ainda há um grupo que espera para saber se vai renovar contrato ou não – apesar de todos interessarem ao Coritiba. Nesse caso se encaixam Reginaldo Nascimento, Edinho Baiano, Ceará e Jabá, entre outros. Eles se juntam àqueles que vão ficar: a grande maioria dos formados em casa, como Lima, Adriano, Juninho e Alexandre Fávaro, e os “quase-renovados”, como Tcheco e Fernando.

Mas mesmo com a efervescência do momento, o pensamento da comissão técnica é iniciar os trabalhos e tentar evitar ao máximo as conversas sobre negociações durante a pré-temporada. Para ?facilitar?, os jogadores já terão treinos técnicos e táticos mesclados com o recondicionamento físico. “A idéia é dividir quase que igualmente a carga de trabalhos”, explica o preparador físico Róbson Gomes. Nesta primeira fase de treinos, deverá ser realizada apenas uma avaliação. “Ela serviria para sentirmos em que nível físico estarão os jogadores na volta dos treinos”, diz o fisicultor.

Agenda

Os atletas trabalharão até o dia 20, quando serão de novo liberados. O retorno definitivo está marcado para o dia 2 de janeiro, quando o trabalho será intensificado, pois a estréia no campeonato paranaense acontecerá no dia 26, contra o Prudentópolis. Mas pode acontecer antes um amistoso contra o Avaí, que manifestou interesse em jogar com o Cori no dia 18.

Reforço da sexta divisão

Como era de se esperar, não haverá novidades na reapresentação do Coritiba. O jogador mais animado para esse retorno é o goleiro Fernando, que conseguiu a liberação junto ao Grêmio e agora luta contra a burocracia para conseguir renovar com o clube o mais rápido possível. Mas, enquanto isso, um pequeno clube do interior paulista pode ceder um jogador para o Coxa.

O nome do jogador é Glauber, tem 19 anos, e joga no Águas de Lindóia, que disputa a série B-3 do campeonato paulista (equivalente à sexta divisão). Neste campeonato, jogam apenas menores de 20 anos, e com isso ele acaba servindo para apresentar algumas revelações. Um exemplo é o atacante Fabrício Carvalho, que disputou o campeonato brasileiro como titular da Ponte Preta.

O Alec (Águas de Lindóia Esporte Clube) é administrado por dois empresários – um deles é Luís Taveira, que é o procurador do meia Adriano, do Atlético, e do lateral Badé, que deve permanecer no Alto da Glória em 2003. Segundo o site Futebol Interior, a informação de vinda de Glauber para o Coritiba (ele se apresentaria no dia 5 de janeiro) foi dada pelo técnico do Alec, Ruddy Machado. “Não tenho a menor idéia de quem seja esse jogador”, diz Domingos Moro, negando a notícia.

Lá e cá

Fernando terá que esperar a resolução de uma barafunda jurídica para enfim renovar com o Cori. “Preciso primeiro terminar meu contrato com o Coritiba para depois obter a liberação definitiva do Grêmio”, explica o goleiro. São, no caso, duas rescisões de contrato sucessivas e na ordem dita pelo goleiro. “E isso tem que acontecer antes do dia 18, quando muda a direção do Grêmio”, completa.

Isso porque Fernando não sabe como vai reagir o novo presidente do Grêmio – Flávio Obino, que já comandou o clube nos anos 60 e é um ferrenho defensor dos jogadores formados em casa, como o goleiro coxa. “Não sei o que eles estão pensando, e é melhor resolver tudo de uma vez”, diz ele, que chega esta manhã a Curitiba.