Os senadores que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito da Pedofilia devem se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima semana para fazer uma exposição sobre o andamento dos trabalhos do colegiado. Durante a visita, os senadores que integram a comissão deverão pedir também a criação de um departamento na Polícia Federal para investigar os crimes cibernéticos.

Em discurso em Plenário na quinta-feira (29), o senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI, anunciou que irá reivindicar uma estrutura completa – com pessoal, instrumento, ferramentas e recursos, capaz de garantir tranqüilidade à sociedade.

Na quarta-feira (4), a comissão deverá se reunir, conforme informou Magno Malta, para propor a votação da quebra de sigilo de 800 pedófilos, selecionados pelos senadores entre os mais de 3 mil investigados a partir dos dados sigilosos fornecidos pelo site de relacionamentos Orkut.

Na sexta-feira (6), os senadores que integram a CPI da Pedofilia viajam para São Paulo onde devem ouvir diretores do portal UOL sobre casos de uso de salas de bate-papo do site para prática de pedofilia.

Nos dias 9 e 10, os membros da CPI irão ao encontro do procurador-geral do Rio Grande do Sul, Mauro Renner, e da promotora responsável pela prisão dos diretores do campo de nudismo Colina do Sul, que segundo o senador, foram presos por envolvimento com pedofilia. A comissão irá ao município de Taquara, no interior do estado,onde estão presos os pedófilos.

Magno Malta disse que tem sido procurado por promotores de vários estados responsáveis por casos que, segundo adiantou, "terão guarida na CPI".