O elenco do Paraná Clube embarca na manhã de hoje para Tocantins, onde estreia na Copa do Brasil contra o Gurupi, sob clima de terror psicológico. Na tarde de ontem, enquanto o elenco realizava o último treino em seu território, na Vila Capanema, torcedores estenderam duas faixas com as escritas “Cavalo já foi embora. Só faltam os burros” e “Blitz na balada. O pau vai quebrar”.

Tal recado de despedida é apenas um dos desdobramentos da crise no Tricolor. Na manhã de domingo, o vice-presidente de futebol do Paraná, Paulo Cesar Silva, foi cercado e agredido por torcedores em frente ao estádio do clube.

Lanterna do Campeonato Paranaense 2011, depois de sete derrotas e dois empates, o Paraná corre no desespero em busca da sua primeira vitória do ano em competições oficiais. O único êxito tricolor ocorreu amistosamente, quando o time da Vila Capanema faturou o Cerro Porteño do Paraguai, em casa, por 2 x 0.

O técnico interino do Paraná, Ageu Gonçalves, vem tentando colocar na cabeça dos jogadores que é possível reverter a situação. No entanto, pede que os torcedores também tenham um pouco mais de paciência.

“Em alguns momentos estamos tendo essa revolta. Mas não é necessário isso que aconteceu nos últimos dias. O pessoal vem trabalhando pra que a vitória aconteça”, disse.

Quem também evidencia que o Tricolor está passando por um problema não apenas técnico, mas também emocional, é o volante Luiz Camargo. “A gente tendo calma pra exercer um melhor trabalho, as coisas vão acontecer”, disse.

Em tom de desabafo, Camargo, que é um dos atletas mais experientes do elenco, ressaltou que os colegas estão encontrando dificuldades para assimilar seus conselhos.

“A gente fala bastante, mas são poucos que assimilam. Isso vai de atleta pra atleta. Não posso entrar na cabeça do cara e colocar na cabeça dele o que se tem de fazer. Tem que ser por ele mesmo”, afirma.

O volante paranista também comentou a agressão sofrida pelo vice de futebol Paulo Cesar Silva. “Fiquei sabendo o que aconteceu com ele, mas fica de lição pra gente também. Isso atrapalha bastante”, lamentou.