Além das dificuldades financeiras, com atraso de salário dos jogadores e dificuldades para contratar reforços, a crise técnica também tem atrapalhado o técnico Oswaldo de Oliveira, mesmo com um time em que a diretoria gastou boa quantia para montar. Foram cerca de R$ 51,2 milhões investidos no atual elenco, que tem sido bastante criticado nos últimos jogos.

A diretoria corintiana gastou em pelo menos 10 reforços para essa temporada. O jogador mais caro e tratado como uma das principais novidades da temporada, o meia Giovanni Augusto chegou do Atlético Mineiro após o clube receber R$ 15 milhões pelo atleta, que ficou famoso por ter sido o responsável pelo primeiro gol marcado no estádio Itaquerão.

Marquinhos Gabriel, após boa passagem pelo Santos, chegou ao Corinthians vindo do Al Nassr, da Arábia Saudita, comprado por R$ 10,5 milhões, em abril. Pouco antes, o paraguaio Balbuena chegou do Libertad por R$ 6 milhões para ser o “xerife” da defesa, desfalcada com as saídas de Felipe e Gil.

Em janeiro, Guilherme foi contratado do Atlético Mineiro por R$ 5,7 milhões. Já Marlone e Gustavo custaram R$ 4 milhões cada. O meia chegou do Sport e foi anunciado em dezembro de 2015, como primeiro reforço da temporada. O atacante, chamado de Gustagol, ainda não honrou o apelido. No clube desde agosto, ainda não marcou um gol sequer após aparecer com destaque na Série B, pelo Criciúma.

O caso curioso é de André. Ele chegou em janeiro do Sport, por R$ 3,7 milhões, e em agosto já foi negociado para o Sporting Lisboa, de Portugal. Outro que também nem está mais no clube é Alan Mineiro. O meia chegou do Bragantino por R$ 1 milhão, fora de forma, e acabou sendo emprestado para o clube de Bragança Paulista (SP).

Dos possíveis titulares para o jogo contra o Internacional, nesta segunda-feira, no Itaquerão, Vilson é o mais barato. O zagueiro chegou por empréstimo de graça em janeiro e foi contratado em julho por R$ 500 mil do SEV/Hortolândia, time do interior de São Paulo. O jovem Jean chegou do Paraná após ser contratado por R$ 800 mil, mas tem sido pouco aproveitado por Oswaldo de Oliveira.

A reformulação do elenco se deu após os principais atletas do time campeão brasileiro deixarem o clube. No total, o clube arrecadou mais de R$ 100 milhões na saída dos jogadores e a maior parte deste valor foi utilizado para pagar dívidas antigas.

A dificuldade financeira fica evidente ao constatar que o clube voltou a atrasar salários dos jogadores, algo que não ocorria há mais de um ano. O lateral-direito Fagner confirmou que os atletas ainda esperam pelo pagamento, que deveria ter ocorrido no último dia 7, foi adiado para o dia 14 e depois 17, mas ainda não foi quitado.

“Não foi pago o salário dos atletas. Parece que os funcionários estão recebendo normal. Espero que isso seja resolvido, mas ninguém falou nada ainda com a gente. Mandei uma mensagem para o Alessandro (coordenador técnico da equipe). Ele ficou de ver e que iríamos conversar para tentar resolver esse problema”, disse o lateral-direito, um dos líderes do elenco. Ele, ao lado do goleiro Cássio, é o único jogador titular da equipe campeã brasileira no ano passado e que permanece no Corinthians.