Há quem diga que cito muitos jogadores veteranos. Mas nossos times precisam ter esses caras, gente que chegue para jogar e que não fique exposto à pressão – boleiros cascudos, resumindo. Por isso faço essa pergunta: por que o Athletico não vai atrás de Rodriguinho pra reforçar o time nesta temporada?

+ No podcast De Letra, os esquadrões do futebol paranaense!

Lembro que lá nos tempos de América-MG a gente falava na 98FM sobre aquele meia que chegava, finalizava bem e tinha ótimo passe. O Corinthians foi lá e contratou ele – na melhor fase da carreira, Rodriguinho chegou à seleção brasileira e era o dono do time. Aquele Pyramids, do Egito, gastou os tubos pra contratá-lo e ele entrou nessa fria.

+ Opinião: “nunca critiquei” é pra torcedor, não pra jornalista

Voltou para o Cruzeiro e começou jogando muito, mas as lesões minaram sua temporada 2019 – e, depois, a própria Raposa fez água até o rebaixamento. Sem interesse de jogar a Série B, Rodriguinho está no mercado. E seria uma ótima opção para o Athletico. Um meia que tem liderança, que tem a capacidade de ser o centro técnico do time, que cumpre bem funções táticas.

+ Também no blog: a memória da primeira participação de nossos times na Copa do Brasil

Seria uma bela resposta do presidente Mário Celso Petraglia às cobranças merecidas da torcida. Por mais que se saiba da importância de dar espaço a Lucas Halter, Erick, Christian e Pedrinho, por exemplo, o Furacão precisa de gente que chegue para jogar, com capacidade de aumentar o nível do elenco e dar mais rodagem de Libertadores.

Aproveitando o ensejo: Keno também seria uma boa pro Athletico. Fica a dica, Petraglia.

Keno está no Al-Jazira, no ‘mundo árabe’. Foto: Divulgação

+ Confira todos os posts do blog AQUI!